Escreva para pesquisar

10 dicas para contratar um bom profissional de tecnologia

O profissional de tecnologia é cada vez mais procurado para os mais diversos negócios. Seja para a implementação de um projeto específico, seja para a atuação permanente dentro da empresa, eles são indispensáveis para as companhias ganharem eficiência e produtividade, aplicando soluções tecnológicas e de automação para melhorar os processos.

Entretanto, encontrar profissionais qualificados nesta área pode ser um grande desafio. Acompanhe, a seguir, 10 dicas para não errar na hora da contratação.

1. COMO FORMAR UMA BOA EQUIPE DE TECNOLOGIA?

Primeiro, é preciso entender qual a necessidade da organização para conseguir traçar o perfil ideal para a vaga. Nem sempre uma boa equipe de TI é formada somente por especialistas técnicos. “Além das habilidades técnicas, o ideal é buscar pessoas que entendam do core business da empresa e que sejam compatíveis com os valores e cultura organizacionais”, indica a diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Brasil), Eliane Aere.

2. COMO IDENTIFICAR AS HABILIDADES TÉCNICAS?

Valide esse tipo de conhecimento por meio de análise de currículo, entrevista pessoal e business cases. As habilidades também podem ser testadas na prática, na ocasião da entrevista. “Na Bluesoft, convidamos o candidato para resolver um problema do nosso dia a dia e depois analisamos a solução indicada por ele, analisando todo o caminho sugerido. O desafio serve não só para medir o conhecimento, mas também a capacidade de aplicar a solução para um problema”, conta o gerente de engenharia de software da Bluesoft, Ismael Soares.

3. QUAL DEVE SER O PERFIL DO CANDIDATO?

Se a ideia é contratar profissionais para desenvolver novos produtos ou soluções, é fundamental ter perfil inovador. “Deve pensar em candidatos que tenham um mindset inovador, além de ter a capacidade de entender as necessidades e oportunidades do negócio e do mercado”, aconselha a diretora de recrutamento da Oracle América Latina, Daniela Boge.

4. QUAL O PERFIL MAIS ADEQUADO PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS?

O profissional que melhor se encaixa nesse cenário é aquele que sabe lidar bem com mudanças, que gosta de desafios, se atualiza constantemente e trabalha não só pelo dinheiro, mas por um propósito, segundo Soares. “Além disso precisa ser multitarefa, pensar como o dono do negócio e estar disposto a trabalhar em equipe”, afirma.

5. QUAIS OS RISCOS EM REALIZAR CONTRATAÇÕES DE EMERGÊNCIA?

Quando o tempo é limitado para buscar o melhor profissional, o erro mais comum é a falta de entendimento e de informações detalhadas sobre o perfil desejado. A urgência também pode levar a priorizar as habilidades técnicas em detrimento do quanto o candidato está alinhado à cultura organizacional. “O perfil comportamental é algo que não se ensina, e isso faz com que o novo colaborador possa destoar de toda a empresa e o processo terá de ser iniciado novamente”, adverte Soares.

6. QUAIS AS MELHORES FORMAS DE CONDUZIR ENTREVISTAS?

É importante deixar o candidato bem à vontade. O ideal é que ele conte um pouco sobre a sua carreira, experiências e perfil pessoal. Soares, da Bluesoft, sugere fazer uma pré-entrevista por Skype, antes da entrevista pessoal, para verificar se as tecnologias que o candidato conhece são similares às usadas na empresa.

7. DEPARTAMENTOS DE TI E RECURSOS HUMANOS PRECISAM SER PARCEIROS?

Sim, é imprescindível para garantir que nenhum ponto, técnico ou comportamental, seja deixado de lado e que as expectativas da empresa e do candidato estejam alinhadas. “O pessoal de recrutamento deve ter em mente qual é exatamente o perfil almejado, qual é a necessidade do negócio, fazer o alinhamento das expectativas e obedecer aos prazos do processo”, aconselha a executiva da Oracle.

8. QUAL A MENSAGEM DEVE SER PASSADA NO MOMENTO DA CONTRATAÇÃO?

Tudo. A transparência é fundamental nesse processo, segundo Eliane Aere, da ABRH-Brasil. “É preciso ser claro e verdadeiro com o candidato. Esclarecer o que é a empresa, desafios e metas da área que ele vai entrar e todo o perfil do cargo. Não se deve mascarar a realidade, pois corre-se o risco de ter um colaborador desmotivado logo no início do processo por falta de alinhamento com as expectativas. Se o objetivo do candidato é crescer rapidamente ou mudar de área num curto espaço de tempo e a vaga não permite, talvez ele não seja a melhor escolha”, afirma.

9. QUAIS OS MELHORES CANAIS PARA DIVULGAR AS VAGAS?

Os especialistas do setor indicam os canais digitais, como LinkedIn, fóruns específicos, além de networking e sites de emprego com foco em profissionais de tecnologia, como APinfo, vagas.com e outros. A indicação também é sempre um bom caminho.

10. APÓS A CONTRATAÇÃO, COMO DEVE SER A IMERSÃO DO PROFISSIONAL?

Todo novo funcionário deve passar por um profundo processo de onboarding e de integração para orientá-lo em sua trilha de aprendizagem e facilitar seu ajuste à cultura organizacional, comenta Daniela Boge, da Oracle. Na Bluesoft, por exemplo, o profissional recebe um e-mail de boas-vindas antes do primeiro dia de trabalho, informando quem será o seu ‘padrinho’, ou seja, o colaborador que ficará responsável pela sua integração na empresa. “Assim que o novo funcionário chega, uma foto dele fica na recepção para que todos saibam quem ele é”, conta Soares. Além disso, a equipe toma um café da manhã de boas-vindas fazendo com que a pessoa já se sinta parte da empresa. Na primeira semana, o colaborador tem contato com as regras da companhia e trabalha em par, uma forma de se inserir rapidamente na equipe.

 

Tags

Send this to a friend