Escreva para pesquisar

3 dicas úteis para as PMEs acelerarem os negócios em 2023

Como planejar os negócios para 2023?

Após a melhora nos índices da pandemia com a abertura plena e sem restrições a qualquer atividade, e a expectativa do PIB para o país em 2022 começou a melhorar.

O Ministério da Economia estima aumento de 2,7%.

Outro dado positivo é a melhora da inflação. Após os sucessivos cortes no preço dos combustíveis, o índice em agosto caiu para a média mais baixa desde 2021, 8,73%.

Diante deste cenário, segundo Sulivan França, especialista em MPMEs e Presidente da Sociedade Latino-Americana de Coaching (SLAC), a solução para pequenos, médios e micronegócios para acelerarem os negócios em 2023 deve abranger um planejamento estratégico para superar desafios de maneira criativa, ágil e empreendedora.

Pare ele, como 90% desses empreendimentos fazem parte do setor de comércio e serviços, é preciso ter cuidado com a cultura organizacional de cada empreendimento para alinhar novas formas de superar desafios, principalmente relativos à complexidade da economia, à competitividade e à coordenação estratégica.

Tradicionalmente conhecidos como os 3 Cês da transformação empresarial, estes são três pilares para modernizar e acelerar o ritmo de negócios em 2023.

1 – Complexidade

Um dos maiores desafios para gestores é posicionar o empreendimento de maneira clara e assertiva para 2023.

Contudo, nem sempre isso é fácil no Brasil

De acordo com o último Índice Global de Complexidade Corporativa, elaborado pelo TMF Group em 2021, o país é o líder de complexidade devido à enorme quantidade de leis, tributos e instâncias administrativas (municipal, estadual e federal) que empresas devem se enquadrar para poder funcionar.

Segundo Sulivan, para evitar dores de cabeça, empresários devem apostar em métodos de mapeamento tanto para encontrar pontos fracos e quanto reforçar as atitudes fortes de empreendimentos.

A metodologia SWAT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats), por exemplo, é um ótimo recurso para mapear oportunidades e dar celeridade a mudanças em 2023.

2 – Competitividade em 2023

2023

Para Sulivan, outro grande complicador para empreendimentos sempre foi se adequar à competitividade em que estão inseridos, principalmente com a chegada dos marketplaces no mundo virtual.

Embora a pandemia tenha acelerado transformações, segundo pesquisa feita recentemente pela FGV, 66% de todas as MPME’s ouvidas não ainda não aderiram totalmente à onda digitalização de negócios e, mesmo se imersos nesse universo, utilizam ferramentas e softwares com pouco impacto para o consumidor, cada vez mais conectado.

Dessa forma, continua o especialista, a chave para o sucesso nessa nova dinâmica do mercado compreende o investimento em soluções tecnológicas e voltadas para o mundo digital, capturando a clientela que vive dentro das redes sociais e assim dando dinâmica a equipes e otimizando custos.

3 – Coordenação estratégica para 2023

Em tempos de quiet quitting (desistência silenciosa) e de Grande Renúncia, dois movimentos que demandam mudanças na maneira de coordenar e gerir pessoas, o papel do gestor como mediador de seus colaboradores nunca foi tão evidenciado.

Para Sulivan, não se trata apenas de aumentar gratificações ou transformar o comportamento de coordenadores com suas equipes, mas sim, criar uma cultura corporativa que compreenda os valores de todos os presentes no ambiente de trabalho.

“Assim como nossos clientes e fornecedores, nossos parceiros são os grandes embaixadores de nossas para outras empresas e para o mercado de uma maneira geral. Dessa forma, o equilíbrio e clareza de nossos valores pode representar o sucesso ou o fracasso de uma corporação, sobretudo no ramo de MPMEs”, conclui o especialista.

Foto: iStock

Leia também

A importância de integrar o e-commerce no analytics 

Tags

Send this to a friend