Escreva para pesquisar

5 dicas de liderança inclusiva recomendadas por Kwami Alfama

Liderar equipes é um aprendizado constante. Envolve preparação e acolhimento para realização de uma gestão de pessoas inclusiva.

Segundo Kwami Alfama, CEO da Tereos Amido & Adoçantes Brasil e um dos poucos CEOs negros no Brasil, primeiro é preciso aprender a se autoliderar, se conhecer, desenvolver a inteligência emocional para facilitar e guiar a equipe.

O executivo ainda destaca que liderar com a finalidade de controlar as pessoas e penalizá-las por erros, é algo que deve mudar no mercado de trabalho.

Para isso, ele dá 5 dicas para começar a promover o modelo de liderança inclusiva. Confira!

1 – Guie o time e o ajude a equilibrar a vida pessoal e profissional

liderança

Eu já fui um líder que não dava espaço para a equipe. Hoje, dou e percebo que nunca fui tão feliz, porque aprendi que não podemos controlar as pessoas.

A missão da liderança é guiar e ajudar as pessoas a equilibrar a vida pessoal e profissional.

O modelo de líder “chefe” apenas contribui para que a equipe trabalhe sob o medo e não consiga mostrar a sua criatividade e inovação.

2 – Construa espaços de segurança

Para ser um líder eficaz, é preciso criar um espaço de segurança e de diversidade a fim que as pessoas possam ser plenas no ambiente de trabalho. Isto quer dizer, dar espaço para que elas consigam mostrar o seu potencial e consigam ser elas mesmas.

Se uma liderança não faz isso, ele precisa rever seus conceitos.

3 – Crie uma cultura de não penalização pelos erros

diversidade na gestão de pessoas

Muitos aprendizados profissionais podem vir do erro e não só dos acertos. Promover o acolhimento dos erros é tão importante quanto os acertos.

Não é uma tarefa que se realiza rápido, por ter que mexer em crenças culturais da empresa, sociais ou de grande parte dos líderes.

Porém, é preciso começar e naturalizar o erro como uma forma de aprendizado para entender que nenhuma pessoa é perfeita.

4 – Alinhe discurso com a prática

comunicação

Uma das frases muito usadas no mundo corporativo é o Walk the Talk, algo como “o que você diz, você tem que fazer”, em tradução livre.

De fato, é muito importante que as lideranças façam discursos de respeito e inclusão na equipe, porém não faz sentido elas falarem apenas e não colocarem tudo em prática.

É preciso alinhar discursos e práticas para promover mudanças e inspirar as próximas lideranças.

5 – Tenha atitude para ações de diversidade e inclusão na equipe e empresa

grupo de pessoas mostrando diversidade

Nada nos impede de construir e apoiar ações de Diversidade, Equidade e Inclusão nas organizações.

Hoje, é perceptível que quando há o engajamento da liderança para a construção de ambientes mais plurais, esse processo torna a trajetória mais rápida e eficaz.

É preciso, como liderança, ter atitude e ações afirmativas, principalmente para processos seletivos.

Por exemplo, gestores têm autonomia para abertura de vagas afirmativas, o que é um ação essencial e não precisa partir apenas da área de Recursos Humanos (RH).

Foto: iStock

Leia também

6 pontos em que a liderança feminina faz toda a diferença 

Tags

Send this to a friend