Escreva para pesquisar

O varejo sempre foi um dos segmentos que mais cresceu no Brasil e traz novas tendências a cada cenário. Diante da pandemia não foi diferente.

A Covid-19 trouxe grandes danos econômicos nesse setor, que se viu obrigado a buscar alternativas cabíveis para continuar com as portas abertas.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mesmo que de forma tímida, o cenário é bastante positivo, em especial, para o varejo restrito, onde a expectativa de aumento está na casa dos 3,9%.

Avanços tecnológicos, metodologias para aproximar as marcas dos clientes, converter vendas, e integrar o varejo físico com o online, são algumas formas interessantes que podem ajudar o varejo nesse processo.

Acompanhe, a seguir, algumas tendências para o setor.

1. Cliente no centro do negócio

2021 será o ano da experiência do cliente e mais do que nunca as marcas terão que colocá-los no centro do negócio como principal pilar para conseguir crescer.

De acordo a CEO e fundadora do Instituto Cliente Feliz, Gisele Paula, customer experience (CX) será essencial, porém ainda muitas companhias ainda não conseguem atraí-los da forma correta.

“O grande desafio da atualidade está relacionado ao encantamento das marcas com seus clientes. Infelizmente, hoje muitas delas se preocupam somente com os produtos ou descontos que vão oferecer, mas esquecem que verificar se a entrega foi bem feita, dentro do prazo previsto, com uma comunicação constante, transparente e com preços justos. Entretanto, a insatisfação bloqueia a recomendação pelo serviço ou produto”, adverte.

2. Conversão de venda aliada com novas tecnologias

O uso de tecnologias como de realidade aumentada, por exemplo, pode ser a peça-chave tanto para o varejo físico quanto o online para criar ações e converter vendas por meio de engajamento e customer experience, na visão do head de XR da startup brasileira More Than Real, Marcos Trinca.

“A realidade aumentada é muito versátil e essencial para estimular as vendas, aproximar e engajar o público com as marcas. Ela permite que os consumidores visualizem seus produtos de forma super realista, quase que física, o que contribui para uma maior certeza e clareza do que se está adquirindo”, justifica.

3.Integração do varejo físico e digital

Os consumidores esperam uma experiência fluida, sem atrito, com muitos dispositivos conectados. Além disso, buscam a conveniência e um ambiente em que as compras sejam totalmente personalizadas.

Dessa maneira, as marcas precisam investir em experiências de compra imersivas e interativas para conquistar o engajamento desses clientes ávidos por inovações tecnológicas e comodidade.

“Esta tendência se traduzirá em ambientes de varejo omnicanais, com e-commerce, chatbots, smartphones, equipamentos domésticos conectados e lojas físicas interativas e altamente envolventes. Afinal, cliente enxerga marca e não canal”, afirma o CRO da Propz, Danilo Nascimento.

4. Live Commerce também é tendência no varejo

As vendas por meio desta estratégia eliminam a fricção entre o entretenimento e a compra, tornando o processo mais fluido e rápido. Além disso, é capaz de reduzir o atrito, já que as compras podem ser finalizadas pela mesma plataforma com apenas um clique.

“As marcas têm buscado novas maneiras de gerar maior conexão e engajamento com o público. Assim, se agrega valor à experiência e torna a jornada de compra única. O Live Commerce abraça todas essas características e vem como uma tendência forte para 2021”, afirma o CRO da Sambatech e da Samba Digital, Mateus Magno.

5. Vendas no mundo digital cada vez mais evidentes

Integrar uma marca a todos os meios digitais se tornou uma tendência no varejo e uma prática indispensável para comerciantes que possuem lojas físicas e querem continuar operando, além de atrair e fidelizar clientes.

Por conta disso, existem hoje diversas ferramentas que proporcionam processos de venda mais assertivos. Para o CEO da Showkase, Jefferson Araújo, as redes sociais e as lojas online foram as principais estratégias utilizadas pelas marcas para manter as lojas ativas e um bom relacionamento com o seu público.

“Diante desse cenário, pudemos perceber que a digitalização dos negócios se consolidou com uma nova tendência no setor varejista”, conclui.

Foto: Getty Images

Leia também

Relatório da Ford mostra tendências do consumidor pós-pandemia

Tags

Send this to a friend