Escreva para pesquisar

Confira as 5 tendências para as PMEs crescerem mais

Pode-se dizer que o ano de 2022 significou um novo começo para as empresas, independentemente do setor de atuação, pois foi o retorno a um contexto bastante semelhante ao vivido antes da pandemia.

No entanto, há mudanças no comportamento do consumidor que não condizem completamente com o passado e encontraram novas formas de continuar se transformando para o futuro.

Dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), mostram que em 2021 o e-commerce brasileiro obteve faturamento de R$150,8 bilhões, o que representa um crescimento de 19% comparado ao ano anterior.

Como resultado, a expectativa para 2022 é que as vendas online no país cresçam 12%, com projeção de faturamento de R$169,5 bilhões.

Por essa razão, desde meados de 2020, as operações das cadeias de suprimentos de todos os tamanhos exploram novas estratégias e tecnologias que fornecem informações em tempo real sobre suas operações para ajudá-las a se adaptarem às mudanças nos comportamentos dos clientes.

Para as pequenas e médias empresas (PMEs), isso tem sido excepcionalmente desafiador, obrigando-as a se transformarem para permanecerem à frente do jogo e competirem com empresas maiores

No entanto, neste ano de ressurgimento de muitos negócios em um contexto mais seguro e “normal”, foram descobertas algumas tendências essenciais para ajudar as pequenas e médias empresas a cumprirem seus objetivos e continuarem crescendo no mercado.

Confira as 5 tendências de e-commerce para as PMEs listas pela Gerente de Marketing de Distribuição da Zebra Technologies para América Latina, María Camila García.

1 – Redução do tamanho dos armazéns nas PMEs

estoque

As PMEs estão procurando novas soluções de atendimento que lhes permitam fazer mais com menos e levar os produtos aos clientes mais rapidamente.

Tradicionalmente, muitas operações de armazém eram projetadas para guardar paletes completos de mercadorias.

Hoje, graças à ascensão do comércio virtual, as operações de armazém estão mudando rapidamente para um atendimento mais “baseado em peças”, onde um conjunto diversificado de produtos deve ser enviado rapidamente para vários locais.

Para ter o suporte necessário, muitas empresas estão explorando estratégias mais inovadoras como o micro-atendimento, em que os pedidos são atendidos em centros de distribuição menores, de 300 a 2.000 metros quadrados, localizados mais próximos do mercado-alvo e que permitem velocidades de entrega mais rápidas.

De acordo com analistas do setor, os centros de micro-atendimento podem reduzir os custos associados a um pedido em 75%, o que beneficia os orçamentos das PMEs.

As empresas também estão implementando opções como armazenamento sob demanda, em que as empresas alugam um espaço menor de armazenamento a curto prazo.

Tanto o micro-atendimento quanto a opção de armazenamento sob demanda são especialmente úteis para pequenas e médias empresas, que podem usar essas estratégias para reduzir custos e agilizar processos, sem investir milhões para construir enormes instalações de armazenamento.

2 – Mais remessas nas lojas das PMEs

loja de varejo com icones representando tecnologia automacao

As PMEs também estão trabalhando cada vez mais para aumentar a confiabilidade do estoque da loja para melhorar o atendimento aos seus clientes, já que cada vez mais compradores escolhem opções de retirada “sem contato”, como comprar online e retirar na loja (BOPIS), tendência que cresceu 60% no último ano.

Mais de 76% dos fabricantes, varejistas e empresas de logística relatam que já confiam 100% no estoque de suas lojas para atender aos pedidos e 68% esperam que as remessas das lojas, com base na confiabilidade de seu estoque, aumentem nos próximos anos.

3- A gestão do estoque deixa de ser importante e se torna crucial

etiqueta rfid

À medida que as PMEs exploram novas opções de atendimento, a busca por um melhor gerenciamento de estoque acelera.

Afinal, as empresas não podem atender pedidos de maneira rápida e eficiente se não souberem a localização exata de cada peça do estoque quando são solicitadas ou se não souberem se o item está realmente disponível.

Já que as opções de atendimento continuam a evoluir, é vital que as PMEs tenham uma solução de gerenciamento de estoque que ofereça um alto grau de visibilidade e precisão.

É aí que a tecnologia pode ajudar. As empresas de hoje utilizam soluções de gerenciamento de estoque sem fio, impressoras de etiquetas de identificação de produtos e até etiquetas RFID para rastrear o estoque em tempo real e saber exatamente quantos itens eles têm e onde estão exatamente.

Essas tecnologias já são encontradas em todas as faixas de preço e podem aumentar a porcentagem de estoque disponível em 98% ou mais, o que reduz drasticamente as vendas perdidas e pode aumentar o retorno sobre o investimento de forma considerável.

4 – Tarefas logísticas menos pesadas

caixa de produto com codigo de barras sendo escaneada

A tecnologia está ajudando as PMEs a enfrentarem melhor os desafios com a força de trabalho, incluindo o alto volume de rotatividade e a produtividade na operação.

Os funcionários que realizam tarefas de separação de pedidos, por exemplo, contam com scanners portáteis, tablets e computadores móveis, com acessórios vestíveis, que os guiam no processo de separação e envio, melhorando consideravelmente sua produtividade e o número de pedidos que podem ser separados e enviados por dia.

Essa tecnologia também pode reduzir as horas de treinamento, tornando mais fácil para os novos funcionários aprenderem rapidamente os processos de cobrança, graças à simplicidade de seu uso.

5 – Um fator que está deixando de ser aspiracional

executivo analisa dados em grafico digital

Outro impacto da mudança nas formas de consumo para as empresas é a necessidade de melhorar a visibilidade de suas operações e assim poder responder às demandas.

Embora parecesse ser um fator de aspiração para pequenas e médias empresas, hoje soluções como a análise prescritiva estão ajudando as empresas a atingir seus objetivos.

Elas estão cada vez mais acessíveis a empresas que tradicionalmente têm recursos de TI limitados e sem acesso a especialistas em análise.

As soluções de análise prescritiva analisam dados operacionais usando “padrões comportamentais”, com algoritmos sofisticados, para procurar áreas operacionais específicas que podem ser aprimoradas.

Por exemplo, a análise prescritiva pode determinar quando é lucrativo acelerar o reabastecimento de itens esgotados na loja com base no lucro esperado.

É possível também usar dados de gerenciamento de estoque para ajudar as empresas a equilibrar o estoque entre os pedidos do BOPIS e as vendas regulares da loja e evitar a “síndrome do estoque fantasma”, em que o sistema de gerenciamento de estoque mostra que há um item disponível, mas quando os funcionários buscam-no para preencher o pedido, ele não está lá.

Bons sistemas de análise prescritiva criam relatórios fáceis de interpretar, projetados para ajudar as empresas da cadeia de suprimentos a identificar rapidamente ineficiências operacionais.

Embora 2022 apresente essas tendências para as pequenas e médias empresas, que cada vez mais confiam na tecnologia e a veem como a aliada que as levará ao sucesso de seus negócios, o comportamento do consumidor continuará mudando, trazendo novas modernizações e transformando as empresas que optam pela transformação digital em negócios altamente competitivos até 2023.

Graças à tecnologia e sua acessibilidade crescente nos últimos anos, todas as empresas, independentemente de seu porte, podem garantir o cumprimento de sua proposta de valor ao cliente final, sem exceção.

Foto: iStock

Leia também

Código 2D da GS1 é destaque na APAS Show 2022

 

Tags