Escreva para pesquisar

53% brasileiros farão as compras de final de ano online

Mais da metade dos brasileiros (53%) pretende fazer as compras online em 2021. Esta é uma tendência crescente no País: nos últimos anos, o resultado foi 30% em 2019 e 47% em 2020.

Os resultados são da pesquisa global Holiday Shopping Snapshot de 2021, feita com 9.000 consumidores de nove países da Ásia, Europa, América do Norte, América do Sul e Austrália, e realizada pela Mirakl.

E as compras esse ano, segundo 70% dos respondentes, começou mais cedo por acreditarem que conseguem melhores preços. Um terço deles pretendiam iniciar no dia da Black Friday (26/11) e 56% no mês de novembro.

Ainda, os brasileiros são mais abertos às compras em marketplaces (90%) do que nos demais países. Os motivos são por acreditarem que as entregas nessa plataforma são mais rápidas (64%) e por conseguirem melhores preços (75%).

“Por causa dos problemas na cadeia de abastecimento e imprevisibilidade na disponibilidade de produtos, os consumidores globais estão começando suas compras de Natal mais cedo do que nunca e comprando online para evitar decepções”, disse Adrien Nussenbaum, co-fundador e co-CEO da Mirakl.

“Os dados do nosso Holiday Shopping Snapshot provam que muitas das mudanças comportamentais temporárias originalmente causadas pela pandemia global estão se tornando permanentes. Os consumidores estão aumentando sobretudo o uso de marketplaces online para ajudar a reduzir custos e garantir que os presentes cheguem a tempo, sendo que os marketplaces estão registrando maiores aumentos entre compradores frequentes.”

Em 2020, o impacto da pandemia global fez com que as compras de Natal online aumentassem quase 50% em relação ao ano anterior, saltando de 31% em 2019 para 46% no mundo.

Um ano depois, o consumidor médio planeja novamente realizar 46% de todas as suas compras de final de ano pela internet, mesmo com a reabertura de lojas e shoppings. Além disso, metade dos entrevistados relatou ter começado a fazer as compras mais cedo do que no ano passado, indicando a influência dos problemas da cadeia de abastecimento.

Compras online passam a ser feitas nos marketplaces

O aumento das compras online também se refletiu no uso de marketplaces, que crescem à medida que os consumidores procuram preços mais baixos (60%), entrega mais rápida (50%) e melhores seleções de produtos neste período de festas (40%).

O relatório ainda contextualiza o crescimento dos marketplaces a partir da perspectiva do consumidor e destaca ainda mais as oportunidades nesse mercado para operadores e empresas que procuram vender por meio de marketplaces.

Outros insights do relatório

Os consumidores recorrem aos marketplaces em busca de melhores preços: três em cada cinco (60%) consumidores em todo o mundo afirmam que preços melhores são uma das razões pela qual estão usando marketplaces online para comprar neste ano. Quase todos os entrevistados – 94% em todo mundo- afirmam que planejam manter (ou até aumentar) a frequência com que compram através de marketplaces.

Vendedores terceirizados também se beneficiam do boom do marketplace: nove em cada 10 entrevistados no Brasil disseram que certamente comprariam ou considerariam comprar presentes de Natal de vendedores terceirizados através de marketplaces online. A geração Y e a Geração Z são de fato as mais propensas a comprar de vendedores terceirizados em marketplaces.

Distanciamento social ainda é motivo entre a escolha dos brasileiros para compras online: 40% dos entrevistados no Brasil citaram o distanciamento social e a tentativa de evitar aglomeração como razão para optar por marketplaces.

Foto: iStock

Leia também

5 vantagens do marketplace frente ao e-commerce

Tags

Send this to a friend