Escreva para pesquisar

Com o passar dos anos, os executivos vêm percebendo que o aumento da receita de uma empresa está diretamente relacionado à valorização dos seus colaboradores.

Segundo a Forbes, uma boa cultura organizacional, que inclui a atenção aos colaboradores, pode aumentar a receita de uma organização em até quatro vezes.

Se você concluiu que estes temas são intimamente relacionados, acertou: uma boa cultura organizacional é, quase sempre, atrelada à valorização dos seus colaboradores, que geralmente são altamente engajados com assuntos da empresa. Por isso, tornou-se tão comum que as mesmas passem a investir em ambientes criativos e inovação como um todo com objetivo de manter seus colaboradores engajados e motivados.

Os executivos reconhecem que investir em engajamento de colaboradores é uma estratégia “ganha-ganha”. Para além da retenção de talentos, uma força de trabalho altamente engajada possui maior chance de inovar, aumentar produtividade e melhorar o desempenho final de um negócio, reduzindo custos de contratação e retenção em mercados competitivos.

Em resumo: quando se cria senso de pertencimento, os colaboradores têm maior tendência a contribuir com a estratégia de negócio, melhorar seu desempenho, e, em paralelo, gerar maior lucratividade ao empregador.

“Mais do que nunca, principalmente após a pandemia, os colaboradores passaram a ter comportamentos mais exigentes no que tange à saúde mental e ao prazer em trabalhar em um local que gosta, buscando cada vez mais o sentimento de pertencerem ao ambiente de trabalho”, pontua Orlando Ovigli, VP de Digital Solutions da FCamara.

Pensando nisso, Ovigli elencou 6 dicas estratégicas para organizações que buscam engajar seus colaboradores, os incentivando a serem criativos e inovadores no ambiente de trabalho. Confira:

1. Estimule o Intraempreendedorismo

empreendedorismo

Incentivar o intraempreendedorismo, termo que se refere ao ato de “empreender” dentro do ambiente de trabalho, é uma oportunidade de trazer os colaboradores para contribuir com a estratégia de negócio e estimular seu “senso de dono”. Esse incentivo tem a capacidade de oportunizar melhorias na eficiência operacional do dia a dia, assim como na criação de soluções inovadoras.

Um programa de gestão de ideias dá voz e motiva a colaboração, ajudando as pessoas a se expressarem e estabelecerem definições e métricas claras de resultados, transformando ideias em projetos de impacto com resultados mensuráveis.

“Esse tipo de programa, além de proporcionar autonomia e liberdade, gera senso de pertencimento, valorização do colaborador e, por consequência, aumenta a retenção de talentos na organização”, reforça Ovigli.

2. Fomente uma cultura voltada à inovação

inovação na empresa

Empresas que têm a inovação no core de sua cultura são aquelas que possuem o maior potencial de fazer o intraempreendedorismo prosperar.

Esse pilar se desenvolve com muito mais naturalidade em ambiente de trabalho fértil para criação e proposição de ideias. Isso pode incluir oferecer espaços físicos ou digitais de brainstorming, capacitar colaboradores, incentivar a experimentação de ideias e oferecer tempo para a criação de novas soluções ou melhorias.

É fácil reconhecer que empresas que nasceram na era digital, como startups, tenham essa cultura mais enraizada. Porém, o investimento neste pilar por parte das organizações tradicionais tem se tornado cada vez mais comuns ao se demonstrar um fator crucial para o aumento de receita e diminuição de custos.

“A cultura da inovação cria senso de pertencimento e participação nas decisões estratégicas do negócio, de ponta a ponta da organização. Uma empresa inovadora naturalmente dá mais voz e autonomia às suas equipes e a consequência é ter colaboradores mais satisfeitos e realizados, o que se reverte em ainda mais resultados”, finaliza o executivo.

3. Ofereça capacitação em criatividade e inovação

conceito de novas ideias cerebro e inovacao

Para que uma grande empresa possa alcançar um grau considerável de maturidade em inovação, é necessário engajar todos – ou a maior parte – dos colaboradores para que essa meta conjunta seja alcançada.

Para isso, oferecer treinamentos sobre esse ecossistema, visando oportunizar o desenvolvimento de habilidades criativas e inovadoras, facilitar o acesso dos colaboradores a recursos e materiais que possam ajudá-los a desenvolver soluções inovadoras é uma estratégia bastante eficaz.

4. Garanta uma comunicação horizontal as lideranças

liderança

Permitir que o colaborador sinta abertura com seus líderes é um dos itens mais importantes quando falamos em engajamento e satisfação de funcionários. “Faz tempo que liderar não deve ser sinônimo de grosseria, rigidez extrema e falta de flexibilidade, pois quanto mais proximidade os líderes permitem, mais resultados os colaboradores entregam”, ressalta Orlando.

Esse é o conceito de uma liderança horizontal: aproximar as pessoas, gerar integração e criar um clima leve e de confiança, em que os empregadores possam opinar e conversar sobre tudo. Boas relações incentivam a produzir com mais ânimo, e a comunicação é a ferramenta mais importante nesse quesito, onde ambos os lados precisam buscar objetividade e clareza.

5. Promova dinâmicas gamificadas

De forma leve, a gamificação pode trazer uma competitividade saudável entre os colaboradores. Ela pode ser feita através de dinâmicas de jogos com recompensas para sugestões criativas, desafios, premiações e pontuação, medindo esforços e resultados no geral. Os jogos podem ser de temas diversos, diretamente relacionados ou não com a atuação da empresa. A ideia é interagir e estreitar relações.

“Dentro desse ponto, conta a relação entre os colaboradores e a colaboração envolvida no processo de completar a atividade sugerida. É importante, no entanto, que a competitividade permaneça em níveis saudáveis e não evolua para conflitos”, complementa Orlando.

6. Incentive as trocas, colaboração e o networking

Promova a colaboração e networking entre colaboradores – times, áreas e cargos. Isso pode ser feito por meio de pequenas mudanças no dia a dia, como a inclusão de reuniões de brainstorming entre áreas, ou com esforços mais pontuais, como confraternizações.

Poder compartilhar ideias e experiências com outras pessoas que trabalham no mesmo ambiente que você, seja por meio do ambiente físico ou digital, pode ajudar a aumentar o nível de motivação e oportunizar insights criativos entre os colaboradores.

“Com uma plataforma de inovação, fica ainda mais fácil gerar essa troca entre os colaboradores. O Imagine, por exemplo, um software 100% responsivo, intuitivo e gamificado que reúne as novas ideias dos colaboradores, atua da captação à execução, incluindo a gestão de projetos, e criando uma competição saudável em torno das sugestões.

A ideia é estimular o aculturamento da inovação nas empresas e a troca entre colaboradores, independentemente de cargos e níveis hierárquicos”, conclui Orlando. A plataforma é semelhante a uma rede social, intuitiva e acessível, justamente para facilitar essa participação e interatividade.

Foto: iStock

Leia também

Transformação digital é foco de empresas de varejo em 2023

Tags