Escreva para pesquisar

Brasil em Código: conheça a história da Laurenti

Muito antes de se tornar uma referência no desenvolvimento de equipamentos e soluções “sob medida” para diversos setores, os irmãos Angelino e Danilo Laurenti enxergaram no Brasil o cenário ideal para realizar seus sonhos.

O patriarca da família, um imigrante italiano da região do Veneto, trabalhava como marceneiro na Companhia Paulista de Estrada de Ferro, em Rio Claro – SP.

Dessa união, nasceram seis filhos, entre eles, Angelino Laurenti (1918-2009), com formação técnica em mecânica e reconhecido por sua criatividade inventiva, e Danilo Laurenti (1927-1975), igualmente qualificado na área mecânica.

A primeira invenção de Angelino foi um cortador de vidro de baixo custo, além de outros produtos inovadores, como um equipamento para medição da velocidade média em ônibus, precursor do atual tacógrafo.

Na década de 1940, os irmãos fundaram a pequena empresa Industria de Artefatos Norma, uma homenagem à irmã que faleceu prematuramente, para a produção de cortadores de vidro e carimbos datadores.

Durante esse período, enquanto Danilo se dedicava à gestão da indústria no bairro do Cambuci, em São Paulo, Angelino prestava serviços de manutenção como técnico residente em computadores eletromecânicos da época, localizados no departamento de contabilidade da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, dirigida então por Octavio Frias de Oliveira, futuro sócio-proprietário do Jornal Folha de São Paulo.

Anos 60

Nos anos 60, a empresa passou a se chamar Irmão Laurenti Ltda, ocupando uma área de 100m² no mesmo bairro. Na década seguinte, expandiram suas instalações para um prédio industrial de 1200m² e alteraram novamente a razão social para Laurenti Equipamentos para Processamento de Dados, nome mantido até os dias atuais.

Em junho de 1940, a pedido da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, a Laurenti concluiu o projeto da primeira máquina cortadora de documentos impressos do mundo, destinada a agilizar o corte de recibos de impostos estaduais, um trabalho anteriormente realizado manualmente.

Esse projeto pioneiro abriu portas para vendas significativas, como para o Banco de Boston e a Companhia Paulista de Gás, estabelecendo uma base sólida de clientes que persiste tanto no Brasil quanto no exterior.

A habilidade da Laurenti em desenvolver soluções “sob medida”, especialmente durante períodos de escassez como o da Segunda Guerra Mundial, quando a importação de insumos era desafiadora, consolidou a posição da empresa como líder em inovação.

Este período de adversidade fomentou o desenvolvimento de inúmeras soluções para atender às necessidades de vários setores, notadamente o gráfico, fortemente dependente de importações.

Entre as décadas de 60 e 80, a Laurenti esteve na vanguarda da evolução dos computadores e impressoras de alto volume, desenvolvendo e fabricando produtos como separadoras e destacadoras de vias em formulários contínuos, talonadoras de cheques e carnês, além de projetos específicos para a área gráfica.

A década de 70 marcou o início das exportações para países latino-americanos, enquanto os anos 80 testemunharam a diversificação da produção de dados e impressão em todo o território brasileiro, com o desenvolvimento de uma das primeiras autoenvelopadoras do país.

Década de 90

luis fernando laurenti ceo da laurenti

Luis Fernando Laurenti, CEO da Laurenti – Foto: Divulgação

Com o crescimento do mercado, a década de 90 trouxe a conquista da ISO9000 e a entrada definitiva no mercado americano, competindo com importantes players internacionais. Em 1993, foi criada a Bankway, focada no desenvolvimento e fabricação de caixas eletrônicos customizados, alcançando a venda de aproximadamente 15.000 unidades para importantes bancos da época.

A primeira década dos anos 2000 viu a Laurenti se consolidar na exportação para diversos países, enquanto na década seguinte, diante da redução global da demanda por documentos impressos, a empresa se reinventou, ingressando no mercado de automação comercial com produtos inovadores como totens, self-checkouts e armários inteligentes, além de projetos customizados.
Atualmente sob a liderança de Fernando Laurenti e Luis Fernand, filho e neto de Danilo Laurenti, respectivamente, a empresa orgulha-se de sua trajetória como uma potência brasileira na automação comercial, destacando-se não apenas pelo self-checkout, mas por uma ampla gama de soluções avançadas.

Completando 84 anos de atuação em junho, a Laurenti se estabeleceu como líder em soluções de automação industrial e comercial no Brasil e na América Latina, desenvolvendo soluções complexas com precisão e confiabilidade para atender à demanda global de seus clientes.

No Brasil, é líder em solução de self-checkout, com mais de 9.000 implantações em mais de 500 clientes do varejo, abrangendo desde supermercados a lojas de departamentos e farmácias.

Brasil em Código

A Laurenti será uma das empresas que estarão presentes no evento Brasil em Código, promovido pela GS1 Brasil.

Este evento , que ocorrerá no dia 08/08 no Espaço Arca, em São Paulo, terá como a tema: “O que move o seu agora?”.

O Brasil em Código 2024 é mais do que um Festival de Tecnologia – é um ponto de encontro dos principais players da indústria e do varejo para explorar as últimas tendências, discutir os desafios e descobrir oportunidades de colaboração.

Foto: iStock

Leia também

Brasil em Código: inteligência artificial e Código 2D serão destaques do evento

 

Tags