Escreva para pesquisar

ChatGPT: 95% dos consumidores usam pelo menos uma vez na semana

Com o avanço das discussões sobre Inteligência Artificial (IA) e as novas ferramentas digitais, o ChatGPT parecia ter perdido espaço nas discussões. Entretanto, segundo pesquisa “A Inteligência Artificial e a Relação entre Pessoas e Marcas” realizada com 1.722 consumidores brasileiros pela Ecglobal, empresa do ecossistema Haus do Grupo Stefanini, a ferramenta se tornou, na verdade, parte do dia a dia das pessoas, com 95% dos entrevistados utilizando a aplicação ao menos uma vez por semana.

Segundo dados da Semrush, o Brasil é o 5º colocado no ranking de países que mais acessam a ferramenta (web), que contabilizou 863 milhões de acessos globalmente também em janeiro deste ano. A Ecglobal realizou o estudo para validar as evidências de uso do ChatGPT por parte dos brasileiros.

Olhando para as possibilidades relacionadas à IA e os pontos de conexão entre marcas e consumidores, a Ecglobal buscou validar a forma os usuários brasileiros estão usando os recursos conversacionais do ChatGPT e como eles influem para a tomada de decisão de compra, incluindo as percepções sobre inteligência artificial e uso de outras ferramentas digitais, com insights acionáveis direcionados para as marcas que se preocupam em acompanhar os novos comportamentos do consumidor.

Conhecimento dos brasileiros sobre o ChatGPT

Na fase quantitativa da pesquisa, que envolveu 1.722 brasileiros, foi constatado que 65% das pessoas já conheciam o ChatGPT e 30% destes conhecedores já usaram no mínimo uma vez. Dentre os respondentes, 42% pertencem a geração Y e 39% à geração X. Entre as pessoas que declararam usar a ferramenta fornecida pela OpenAI, 15% relataram utilizá-lo diariamente, enquanto 51% utilizam de 2 a 5 vezes na semana e 29% pelo menos uma vez por semana.

chatgpt

Quanto às atividades de rotina constatou-se, em pergunta de múltipla escolha, que 58% dos usuários acessam para atividades relacionadas ao trabalho. Já 56% dos entrevistados afirmaram usar o ChatGPT para estudos e 47% para atividades de lazer e entretenimento.

chatgpt

Fase qualitativa e exploratória

Durante a parte qualitativa do estudo, a empresa aprofundou a discussão para entender como as pessoas têm se apoiado na ferramenta para tomar decisões de compra, explorando sobre as possibilidades de aplicação destas novas tecnologias de Inteligência Artificial para as marcas que buscam aprimorar os recursos oferecidos ao consumidor da era digital.

As declarações de 63 participantes da fase exploratória foram analisadas usando algoritmos de Processamento de Linguagem Natural (NLP), em plataforma privada Ecglobal, que desde janeiro desse ano já vem aplicando IA Generativa para aumentar a velocidade e inteligência fornecida aos times de Consumer & Market Insights desde janeiro de 2023, em colaboração com o centro de excelência em IA do Grupo Stefanini, e hoje já apresenta 95% de precisão no uso da sua IA Generativa.

Resultados

Foi detectado que, apesar do conhecimento crescente sobre a ferramenta, ainda existe desconforto com relação à autenticidade das informações fornecidas pelo ChatGPT para a tomada de decisão na jornada de compra. No entanto, a ferramenta já exerce forte influência nas etapas iniciais da jornada do consumidor brasileiro, apoiando o momento em que decidem buscar informações sobre produtos, serviços e marcas, com informações relevantes que influenciam a decisão final de compra.

Com as respostas detalhadas do que os clientes esperam da ferramenta ao pesquisar por produtos e serviços, os padrões de comportamentos revelaram o sentimento de satisfação presente em 100% dos grupos geracionais participantes do estudo, enquanto entusiasmo foi o segundo sentimento positivo mais recorrente. Em contrapartida foram constatados sentimentos negativos como desconforto e frustração pelo desconhecimento da fonte de informação nas respostas fornecidas pelo ChatGPT, falta de resultados detalhados, respostas personalizadas, ausência de informações atualizadas sobre produtos e falta de recursos de redirecionamento para um atendimento humano.

“Estamos iniciando uma nova fase de pesquisa de marca associando Inteligência Artificial ao trabalho que já desenvolvemos nas comunidades da rede Ecglobal, com rapidez e detalhamento de dados obtidos por meio de NLP. Com o amadurecimento da programação em GPT e a chegada de outros serviços, como o Bard, os usuários estarão mais inclinados a usar esse tipo de linguagem em sua jornada de compra. As marcas que enxergarem isso como vantagem e procurarem formas de agregá-la ao seu negócio sairão na frente”, comenta Adriana Rocha, Co-CEO e fundadora da Ecglobal.

Fotos: iStock

Leia também

Transformação digital não é só para gigantes, diz executivo

Tags