Escreva para pesquisar

Código de barras: a importância da evolução das listras

Podemos não reconhecer o nome George J Laurer facilmente, mas provavelmente conhecemos o seu legado: o código de barras.

No nosso dia a dia, muitos de nós dificilmente levamos em conta o código de barras.

No entanto, provavelmente interagimos com ele mais do que pensamos.

O código de barras é muito mais do que muitas linhas e espaços que nos ajudam no processo de compra de um produto.

É uma tecnologia que alimenta tudo o que acontece na cadeia de fornecimento e é usada em praticamente todos os lugares:

1 – No supermercado ao fazer suas compras;

2 – Em um hospital para identificar ativos,  pacientes e materiais cirúrgicos;

3 – Na logística de entrega de um produto que foi comprado online, possibilitando saber o ponto exato onde está e onde deve chegar (além de rastrear durante a sua viagem).

4 – Estima-se que o código de barras seja usado em milhões de produtos em todo o mundo e esse número aumenta à medida que mais produtos e novos serviços são criados.

Ana María Cabrales da Zebra Technologies. Crédito: divulgação

Em entrevista ao portal da GS1 Brasil, a Gerente de Marketing de Soluções, Zebra Technologies América Latina,  Ana María Cabrales, diz que hoje, essa importante criação de Laurer evoluiu notavelmente, emprestando novas funcionalidades aos contextos empresariais e individuais.

“Os códigos de identificação passaram de 1D para 2D, como o código QR, focado na experiência do cliente; o código Datamatrix para identificar itens pequenos e o código PDF417 que armazena grandes quantidades de dados. Esses são alguns dos que existem e estão tocando a vida das pessoas de maneiras diferentes. Seja para participar de um evento, efetuar um pagamento, fazer compras online ou vários procedimentos, os códigos de identificação estão revolucionando a maneira de fazer as coisas no mundo”, explica Ana María.

Rastreamento e localização

O que seria o setor de varejo ou logística sem códigos de identificação?

O código de barras foi criado como uma impressão digital de produtos que, graças a combinações binárias imersas em linhas pretas verticais, contêm informações para facilitar a saída de produtos na caixa registradora, melhor controle de inventário e rastreamento de dados para conhecer melhor os clientes.

“Os avanços tecnológicos evoluíram o código para sua versão 2D, que tem a capacidade de armazenar mais informações como preço, quantidade e o site do produto. Com esses benefícios, os códigos 2D ajudam a tomar melhores decisões em toda a cadeia de suprimentos”, destaca Ana María.

Dois dos processos em que o código 2D se tornou o protagonista são o gerenciamento de estoque e a localização da mercadoria.

As tecnologias de código de barras 2D fornecem coleta de dados rápida e confiável para garantir a rastreabilidade de qualquer item ou pacote e melhorar o atendimento ao cliente.

Eles também permitem que as informações sobre o estoque disponível sejam cruzadas com precisão com o estoque consumido e demandado.

Agora, os scanners de código de barras 2D móveis permitem que as organizações coletem dados com mais precisão, compartilhando-os em diferentes sistemas e níveis, dentro ou fora da empresa.

Graças aos códigos, cada tarefa do processo se torna uma execução eficaz e eficiente.

Os funcionários podem coletar, embalar, localizar, manobrar, armazenar e enviar itens de maneira rápida e confiável.

O software e a tecnologia usados ​​para capturar as informações são cruciais no processo passo a passo, pois garantem que todos os dados coletados sejam processados ​​e analisados ​​corretamente, para que decisões inteligentes e oportunas possam ser tomadas.

Atualmente, com o avanço do comércio eletrônico e do omnichannel, é necessário que as empresas tenham esse tipo de ferramenta para dar uma resposta rápida ao cliente.

Códigos de barra: indispensáveis ​​para a saúde

Nas clínicas, hospitais e setor farmacêutico, os códigos de identificação melhoram significativamente os processos.

Atualmente, a qualidade da assistência médica pode depender dessa tecnologia, pois documentos manuscritos levam a erros derivados de escrita ilegível e tinta desbotada, afetando a saúde e até a vida útil da impressora. paciente.

Em vez de usar papel e caneta para documentar o tratamento manualmente, os códigos de barras e os scanners podem ser implementados em conjunto com uma solução de gerenciamento de identidade do paciente para combinar com precisão e rapidez os pacientes com seus registros, medicamentos e tratamentos.

Isso garante que os erros sejam reduzidos ao mínimo, enquanto os pacientes recebem os cuidados adequados.

Todos os anos, centenas de milhares de mortes em todo o mundo são atribuídas à venda e subsequente consumo de medicamentos falsificados.

Da mesma forma, à venda incorreta de medicamentos ou procedimentos. Nenhum país está imune a esse problema. Mesmo em países como Colômbia e Brasil, já é fato por decreto que os registros médicos devem ser 100% digitais.

Da mesma forma, na Argentina existe a Lei 5.669, que busca integrar em um único sistema registros médicos digitais para facilitar a assistência médica e o acesso do paciente a este documento.

“Graças à automação desses processos com um código de identificação exclusivo, cada medicamento vendido, implemento médico usado e paciente registrado são corretamente registrados e digitalizados para tornar seus cuidados mais eficientes e precisos”, ressalta a executiva da Zebra Technologies.

Setor Financeiro: uma nova experiência do usuário

pix nas empresas
O código 2D está se tornando um método de pagamento e uma tendência que está alterando os procedimentos bancários dos usuários.

Graças à identificação de faturas e documentos, os usuários realizam seus procedimentos de pagamento em menos tempo e de maneira mais simples.

Agora, os pagadores podem facilmente pagar suas faturas, pois as informações contidas na fatura são capturadas com precisão, eliminando erros.

Isso também facilita o gerenciamento da reconciliação do setor bancário.

Além disso, os códigos 2D estão se tornando um método de pagamento para facilitar as compras.

Mesmo na maioria dos países da América Latina, supermercados e lojas, tem um código impresso na caixa para que, com o telefone celular, o comprador possa digitalizar e debitar diretamente de sua conta.

Pouco a pouco, essa ferramenta está substituindo ou complementando os diferentes métodos de pagamento tradicionais existentes.

“O Pix, por exemplo, é o novo sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central para oferecer um novo jeito de pagar, receber e transferir valores. Ele funciona 24 horas por dia e sete dias por semana – inclusive em fins de semana e feriados – e possibilitar recebimentos instantâneos, de maneira fácil e barata”, lembra Ana María.

Sem uma boa ferramenta de verificação, o código não é nada

Para ter uma leitura eficiente dos códigos de identificação, como códigos de barras 1D, 2D, etiquetas RFID, entre outros, é necessário ter a tecnologia adequada para tornar o processo eficiente, seguro e com menores custos de reposição para as empresas.

A familiaridade da interface do dispositivo de um usuário, como ergonomia ao usá-la e robustez para suportar choques, água, poeira e ambientes difíceis, são os principais recursos a serem considerados na seleção de equipamentos que mudarão o processo de captura e digitalização de informação.

A captura de dados pode ser feita por meio de computadores móveis portáteis robustos, scanners ou tablets portáteis, com os quais os funcionários podem digitalizar produtos ou documentos com código de barras enquanto concluem outras tarefas importantes em sua função e fornecem a você atenção ao usuário.

Os scanners 2D, por exemplo, podem executar mais de uma operação de fluxo de trabalho por vez e permitir visibilidade imediata de dados críticos de código de barras.

Esses scanners reduzem erros na entrada de dados e aceleram o tempo de transação, tornando-os uma solução satisfatória e, ao mesmo tempo, proporcionando uma vantagem competitiva.

“No entanto, nem todos os dispositivos funcionam da mesma forma e existem diferentes necessidades em capturar as informações armazenadas nos códigos. O convite é consultar adequadamente os especialistas em tecnologia que se tornam aliados da transformação e, de suas mãos, conhecer os dispositivos apropriados para que sua empresa tenha uma verdadeira ferramenta de eficiência e produtividade.”, diz a executiva da Zebra Technologies.

Zebra Technologies é parceria da GS1

A Zebra Technologies oferece soluções tecnológicas para a cadeia de abastecimento, conectando pessoas, ativos e dados. Fundada em 1969 nos Estados Unidos, a Zebra tem atuação global com seu portfólio de equipamentos para impressão de código de barras, computação móvel, captura de dados, localização, plataformas de dados, RFID, software, serviços e suprimentos.

Com foco em promover os benefícios da automação no mercado, a Zebra e a GS1 Brasil (Associação mantenedora das numerações dos códigos de barras) mantêm uma parceria há muitos anos. No Centro de Inovação e Tecnologia (CIT), instalado na sede da GS1, em São Paulo, as empresas podem conhecer diversas soluções da Zebra em funcionamento.

“A GS1 trabalha muito na padronização global e melhoria de processos nas operações de seus associados, fornecendo-lhes ferramentas e consultoria sobre como a tecnologia pode apoiar suas operações. Temos o mesmo propósito e trabalhando juntos criamos sinergia para cumprir este importante papel de levar os benefícios da automação para a sociedade”, conclui Ana María.

Foto: iStock

Leia também

Soluções tecnológicas da Zebra agregam produtividade aos negócios 

 

 

 

 

Tags