Escreva para pesquisar

Tags:

Com estrutura remota MHA cresce mesmo diante da pandemia

mhaIdealizada para proporcionar acesso à tecnologia para seus colaboradores e parceiros, a MHA foi criada com o objetivo de inovar na área tecnológica, com produtos e serviços.

Sendo uma empresa voltada a projetos, a MHA se tornou uma organização de consultoria internacional, especializada em gestão de projetos em diversas plataformas e ambientes tecnológicos, desenvolvendo sistemas para facilitar e aprimorar as necessidades das empresas.

A plataforma desenvolvida e mantida pela MHA foi desenhada e construída para atender todas as verticais de atuação logística.

Em entrevista ao Portal de Notícias da GS1 Brasil, o CEO da empresa, Marcio Morari, mostra a atuação da MHA no mercado nacional, próximos investimentos e como a empresa conseguiu crescer mesmo diante da pandemia.

“A estrutura tecnológica da empresa já funcionava com ambiente remoto e descentralizado e os clientes da MHA já estavam habituados em execuções de projetos com boa parte do cronograma sendo executada de forma remota para diminuir custos”, disse Morari. Acompanhe, a seguir, todos os detalhes deste bate-papo.

Desde quando a MHA está no mercado brasileiro? Quais são as maiores forças da empresa no País?

A MHA possui vinte e um anos de história. Foi fundada no ano de 2000 e possui atuação em quase todo território nacional, estando presente com o seu produto em vinte e cinco estados, mais o Distrito Federal.

Além disso, a MHA iniciou sua internacionalização como exportadora de software em 2004 e seguiu, desde então realiza investimentos em países das Américas. Atualmente, temos operação ativa em quatro países das Américas.

Onde a empresa está instalada? Hoje, são quantos colaboradores?

Atualmente possuímos dois escritórios físicos de apoio a toda estrutura localizados nas cidades de São Paulo (Capital) e Campinas.

Entretanto, trabalhamos há muito tempo de forma descentralizada e tínhamos 60% do quadro de profissionais atuando em home office, mesmo antes  da pandemia. Atualmente, estamos com 83 colaboradores diretos.

Então, a empresa não sofreu os impactos da pandemia nos negócios? 

Nos consideramos privilegiados porque não sofremos estes impactos. A MHA já trabalhava há alguns anos de forma descentralizada, a estrutura tecnológica da empresa já funcionava com ambiente remoto.

Assim, nossos clientes já estavam habituados em execuções de projetos com boa parte do cronograma sendo executada de forma remota para diminuir custos.

Dessa forma, posso afirmar que a MHA teve impacto zero, não sofremos nem com produtividade e nem com perda de receita.

Quanto a empresa cresceu no último ano? E quais as projeções de crescimento entre 2021/2022?

Crescemos mais do que a programação normal estimada para o ano de 2020. A pandemia nos trouxe uma carteira nova de clientes que tiveram a necessidade de investir em tecnologia de alta performance, com resultado em curto espaço de tempo. E a MHA estava preparada para atender, pois já possui seu produto em plataforma SaaS desde o ano de 2007.

Um ponto importante também foram os novos projetos da carteira de já clientes em segmentos de varejo e consumo, que cresceram em torno de 30% e necessitaram expandir suas estruturas físicas e de gestão para atender o crescimento.

Continuamos com uma média de crescimento acima do esperado, o que nos ocasionou fila e agendamento na execução de projetos.

Mas estamos tendo uma boa consciência de nossos clientes que aceitam esperar e executar um projeto de forma sólida já conhecendo a plataforma que oferecemos e a experiência da equipe da MHA.

Hoje, onde estão concentrados os principais investimentos da empresa?

Nosso principal investimento é o produto arMHAzena, plataforma de tecnologia desenvolvida e mantida pela MHA durante os 21 anos de existência da empresa.

Nosso maior investimento é manter a plataforma atualizada tecnologicamente e também investimos para que a cada ano a plataforma tenha mais robustez e amadurecimento nas regras e abrangência das áreas de gestão logística.

Como vocês analisam o crescimento da transformação digital e automação das empresas neste momento? Já é uma questão de sobrevivência no mercado? 

A pandemia trouxe um fator muito importante onde as empresas que enxergaram no passado que tecnologia era investimento e não custo surfaram na pandemia e conseguiram executar suas atividades com pouco impacto e atender de forma plena seus clientes, aumentando suas receitas.

Já as empresas que não investiram foram obrigadas a apostar em tecnologia e automação de última hora  para poderem continuar no mercado de forma sustentável e algumas até perderam muito dinheiro com a pandemia.

A tecnologia se tornou, sim, uma questão de sobrevivência e a pandemia veio solidificar isto junto ao mercado.

Outra grande pressão diante da pandemia esteve concentrada na logística, especialmente por conta do crescimento do e-commerce. Como a MHA está preparada para ajudar nesses processos?

Nossa plataforma já opera com e-commerce há mais de dez anos. Possuímos, dentro da plataforma, operações de e-commerce de eletrodomésticos, vestuários, artigos esportivos, autopeças e até alimentos.

As vendas por e-commerce tiveram picos nas operações que atendemos de até 90% com média de 50% de crescimento e acompanhamos isto de perto.

Visualizamos os clientes saindo de 15 mil pedidos em média por dia para 26 mil pedidos dia e conseguimos atender com a mesma equipe.

Entre 2021 e 2022, há lançamentos previstos? Se sim, quais são eles? 

Existem sim, estamos sempre em evolução  e em 2021 lançamos na plataforma da MHA  o módulo de picking voice, utilizando a plataforma Android e instalado em aparelho celular.

Qual a importância da parceria entre a GS1 Brasil e a MHA hoje?

A MHA é uma empresa bem acadêmica e gostamos muito de seguir normas e padrões mundiais.

Investimos muito em padronização, documentação e metodologias e a parceria com a GS1 é considerada de muita importância por ser a empresa responsável em padronizar, divulgar e realizar a gestão  mundialmente dos códigos de identificação e rastreabilidade de varejo.

Então, além de levarmos o nome da GS1 e os padrões aos nossos clientes, defendemos que todas as empresas sigam o padrão.

Dos anos de parceria da MHA junto a GS1 realizamos alguns investimentos  com o objetivo de ajudar a GS1 a chegar mais longe na abrangência de padronização e rastreabilidade.

Foto: divulgação

Leia também

5 dicas para pequenas empresas saírem mais fortes da pandemia

Tags