Escreva para pesquisar

Como as PMEs podem aumentar as vendas de Natal?

A pandemia causada pela Covid-19 segue com reflexos no consumo do País. Para as vendas de Natal de 2020, por exemplo, as estimativas do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo (Ibevar) apontam para uma retração de 5% em relação a 2019.

“Projetamos um Natal com resultados inferiores aos do ano passado, por conta de variáveis objetivas que determinam essa redução, como alto desemprego e insegurança para as compras entre os empregados, reduzindo o ritmo e disposição de consumo”, comenta o presidente do Ibevar, Claudio Felisoni de Angelo em entrevista ao Portal de Notícias da GS1 Brasil.

Entretanto, ainda assim, o Natal segue como a data mais importante do varejo ao lado da Black Friday e, portanto, deve-se manter o foco para alcançar índices positivos nas vendas. Para tanto, pequenas e médias empresas (PMEs) precisam estar de olho nas novas demandas do consumidor.

A maneira como os consumidores se relacionam com produtos e serviços mudou. O gosto pelas ferramentas digitais, por exemplo, já era algo anunciado pelos especialistas do varejo e que se fortaleceu diante da pandemia.

“Embora já houvesse uma tendência de crescimento nas lojas virtuais, sabemos que a pandemia acelerou os resultados do e-commerce. Então, as vendas multicanais passaram a ser uma realidade do mercado de consumo, trazendo um desafio ainda maior especialmente para PMEs. Para elas, uma boa estratégia podem ser os marketplaces”, aconselha Felisoni.

Para se ter uma ideia, o comércio eletrônico registrou um crescimento de 56,8% no período de janeiro a agosto de 2020, de acordo com um levantamento feito pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) em parceria com o Movimento Compre & Confie.

O country manager da Visa do Brasil, Fernando Teles, afirma que 2020 foi extremamente desafiador para pequenas e médias empresas brasileiras, mas, principalmente, foi um ano que inspirou superação e a entrada de tantos negócios no mundo online. “Será o Natal do e-commerce”, projeta o executivo.

Estratégias para as vendas de Natal

Se a ideia é potencializar as vendas no e-commerce, é preciso aprofundar os conhecimentos em relação às ferramentas de análise do perfil do consumidor e investir na qualidade das fotos dos artigos em exposição.

“Além da definição dos tipos de plataforma e meios de pagamento mais interessantes para o negócio, o empresário precisa ficar atento ao perfil do público-alvo e caprichar nas imagens dos produtos para fazer o consumidor se sentir o mais próximo de uma experiência presencial, mostrando detalhes, cores, opções de tamanho, entre outras informações”, opina o docente do curso Moda E-commerce do Senac São Paulo, João Nell.

Além de estar presente no e-commerce, é igualmente importante se comunicar com o cliente no ambiente digital. “Hoje a população se comunica pelas mídias sociais e é fundamental que o varejo esteja presente nelas. Além disso, os custos podem ser reduzidos quando comparado a anúncios em mídias tradicionais”, diz o especialista do Ibevar.

Em relação ao atendimento, seja no ambiente físico ou virtual, este quesito precisa de atenção especial. “A ‘briga’ pelas vendas vai ser grande entre os concorrentes. Portanto, se o consumidor entrar na loja, além da cordialidade, a loja precisa estar atenta à flexibilidade no processo, para não perder a oportunidade de venda”, aconselha Felisoni.

No caso específico das lojas físicas, é importante manter a ambientação condizente com o período. “As decisões do consumidor se dão por duas vertentes: as racionais e as emocionais. Então, a loja precisa ser um ambiente que atrai o consumidor e ambientação pode ser um recurso importante para estimular as vendas”, opina.

Para finalizar, a política de preços deve ser uma prioridade na estratégia, porque o consumidor, vai, sim, procurar as melhores oportunidades. “A dica é sempre estar de olho nas práticas dos concorrentes mais diretos e procurar reduzir os custos para garantir margens mais interessantes”, finaliza o presidente do Ibevar.

Projeções para o Natal 2020

  • 54% dos brasileiros confirmam que vão realizar a maioria das compras de final de ano no comércio eletrônico;
  • 89% pretendem fazer compras de Natal neste ano;
  • A maioria (58%) deverá optar por apoiar o comércio de bairro e concentrará mais da metade das compras nesses estabelecimentos, seja de forma presencial ou online;
  • Os presentes digitais ganharão destaque, com mais da metade (59%) planejando comprar por produtos ou serviços nesse formato. Desses, 31% esperam dar mais vales-presentes digitais que no ano passado, seguidos por entretenimento digital (25%) e esportes eletrônicos, como jogos, acessórios e assinaturas (24%);
  • Quase quatro em cada cinco PMEs brasileiras (78%) dizem que a época é muito relevante para os negócios, destacando-se em relação ao restante do mundo, no qual 68% afirmam o mesmo globalmente;
  • Indo mais a fundo nos dados brasileiros, apenas 17% dos pequenos empreendedores afirmam que seus negócios não estão preparados para enfrentar o fluxo de vendas da alta temporada;
  • Em relação aos preparativos para a demanda desse período, os empresários entrevistados disseram que os principais cuidados serão: estender o horário comercial (32%); digitalizar partes das operações comerciais (29%); investir mais na infraestrutura física (26%); e contratar mais pessoal para a operação (18%).

Fonte: Estudo global da Visa – “Back to Business, Holiday Edition”

Foto: Getty Images

Leia também

Pesquisa mostra intenção de compras do brasileiro para o Natal

Tags

Send this to a friend