Escreva para pesquisar

Como o marketplace aprimora a experiência phygital?

Nos últimos anos, uma tendência interessante tem se destacado: a experiência phygital, que oferece uma jornada de compras enriquecedora. No epicentro dessa transformação, uma das peças-chave é o marketplace.

O termo phygital é uma fusão das palavras “physical” (físico, em inglês) e “digital”. Isso implica na convergência dos ambientes físico e digital, criando uma experiência fluida e híbrida para o consumidor, onde esses dois cenários se entrelaçam harmoniosamente.

No contexto do marketplace e do varejo, isso significa oferecer aos consumidores a conveniência das compras online com a oportunidade de experimentar produtos fisicamente, quando desejarem.

De acordo com o levantamento da Mobile Consumer Survey 2023, realizado pela Airship, 83% dos entrevistados no Brasil afirmam que, ao visitar uma loja física, utilizam seus smartphones para comparar preços online.

Essa descoberta reflete uma significativa transformação na experiência do consumidor.

Relevância dos marketplaces

dia do consumidor marketplaces e-commerce

Com o crescente interesse pela experiência phygital, os marketplaces desempenham um papel ainda mais significativo nos períodos de grandes promoções e descontos, como o Natal e volta às aulas.

Durante esses eventos, os consumidores não apenas procuram maximizar suas economias, mas também desejam tomar decisões acertadas em relação aos produtos que estão adquirindo.

“A presença dos marketplaces se torna ainda mais valiosa, pois eles oferecem uma solução para essa equação desafiadora: a diversidade de opções no mesmo lugar e a conveniência da pesquisa de preços online. Isso permite que os consumidores explorem uma ampla variedade de produtos e comparem preços de maneira eficiente, em uma única plataforma, com rapidez”, pontua Matheus Pedralli, CEO da Omnik, empresa da FCamara especializada em transformar e-commerces em marketplaces escaláveis.

O cenário reforça a importância crítica de integrar as jornadas do consumidor, superando a fragmentação que existia anteriormente, onde a lista de desejos era mantida em um site de compras, enquanto o histórico de compras estava associado a uma loja física.

O processo reflete a evolução contínua do mercado, direcionando as empresas a se adaptarem ao modelo phygital para atender de maneira eficaz às expectativas do consumidor e oferecer uma experiência de compra mais alinhada com as demandas atuais.

“A experiência personalizada promovida pelo phygital torna a jornada de compra mais relevante e adaptada aos gostos e preferências individuais. A junção dos recursos não apenas ajuda os compradores a encontrar produtos que atendam às suas necessidades específicas, mas também antecipa suas dificuldades e vontades, os faz entender que estão sendo vistos e atendidos, melhorando sua satisfação geral”, reafirma Pedralli.

Foto: iStock

Leia também

GS1 Talks: o potencial dos marketplaces no Brasil

 

Tags