Escreva para pesquisar

Confira os grandes vencedores do Prêmio Automação 2021

Criado em 1998, o Prêmio Automação já se tornou referência nacional em termos de inovação, gestão e empreendedorismo.

Nesta que se consagra como a vigésima terceira edição, foram mais de 800 convidados que se reuniram numa noite muito especial no dia 8 de dezembro, no espaço Tom Brasil, em São Paulo.

Por lá, empresários, dirigentes de organizações e representantes de diversos segmentos da economia tiveram a oportunidade de trocar experiências e celebrar suas trajetórias de sucesso.

O tema escolhido para unir toda a experiência do Prêmio foi “Reinvente-se” e o presidente da GS1 Brasil, João Carlos Oliveira, explicou os motivos.

Prêmio Automação

João Carlos Oliveira, da GS1 Brasil, durante a abertura do Prêmio Automação. Crédito fotográfico: Marco Flávio dos Santos e Celso Soares Menezes.

“Muita coisa aconteceu desde nosso último encontro em 2019. Vivemos o período da quarentena, depois a retomada lenta das atividades presenciais, muita instabilidade no mercado e na economia, mas em meio a tantos desafios, coisas boas também aconteceram.  Muitos empresários se reinventaram e novos negócios surgiram, demonstrando a força do empreendedor brasileiro.  Justamente por isso a escolha do tema”, disse o executivo.

Agradecimentos especiais

Oliveira também aproveitou a ocasião para destacar profissionais e entidades que exercem um importante papel em parceria com a GS1 Brasil. Entre eles: ABAD, André Santos do Mercado Livre, APAS e Rodrigo Klein, da T2 Software.

Os grandes vencedores por categoria

Regina Bittar, que dá voz para as traduções do Google no Brasil, apresentou os vencedores.

CATEGORIA: Aplicação do código 2D no setor de construção

VENCEDOR:  Leroy Merlin

A Leroy Merlin, líder em Home Centers no Brasil, foi o grande destaque desta categoria e conquistou o prêmio.

“Somos a empresa que mais vende material para acabamento, reforma e decoração no País e o objetivo do projeto foi ganhar eficiência na nossa operação de cerâmica”, destaca Renato Ribeiro, da Leroy Merlin.  Neste case de sucesso, a aplicação foi na reengenharia do processo de recebimento de pisos e revestimentos cerâmicos. A Leroy Merlin trabalhou junto a mais de 20 fornecedores a padronização das etiquetas de identificação logística e de produto.

Por meio do padrão GS1 DataMatrix, foi possível codificar diversas informações, como bitola e tonalidade, fundamentais para a gestão dos estoques, rastreabilidade, redução de desperdícios e assertividade, com o objetivo de ganhar otimização, velocidade e confiabilidade.

“Ao padronizar as informações por meio da GS1 DataMatrix foi possível uniformizar todo o recebimento de materiais, utilizando a tonalidade e bitola destes produtos”, explica Maria Olívia Machado, da Leroy Merlin.

“Ao longo do desenvolvimento deste projeto, todo o mundo viu que era um ganha a ganha. Tanto para a Leroy como para os fornecedores”, completa Luis Fernando Roncero, da Leroy Merlin.

A ação trouxe uma série de benefícios. Entre eles:

  • Ganho de produtividade no recebimento, redução de 55% no tempo de recebimento;
  • Revisão do processo de recebimento, foi possível eliminar uma etapa;
  • Correção de 100% dos cadastros dos SKUs;
  • Otimização do inventário;
  • Redução de erros na entrada de produtos;
  • Melhor gestão e visibilidade permitiu melhor ocupação do CD;
  • Redução do fracionamento dos produtos em estoque.

“Quando recebemos o prêmio, nos sentimos extremamente valorizados, pois, no início, era um projeto só para a Leroy Merlin. No entanto, ficamos muito satisfeitos em contribuir não só para nossa empresa, mas para a evolução de toda a cadeia do setor varejista”, comemora Ribeiro.

CATEGORIA: Automação de processos no setor de alimentos

VENCEDOR:  PariPassu

Já nesta categoria, a premiada foi a PariPassu, uma empresa que trabalha com toda a cadeia de abastecimento de alimentos, principalmente de Frutas, Verduras e Legumes (FLV).

“Atuamos tanto na parte de rastreabilidade de alimentos quanto na questão de garantia de qualidade deles, recall e também indicadores de desempenho”, explica Nildo Wilpert Júnior, da PariPassu.

Nesta aplicação, que permitiu esta conquista, a empresa utilizou o Padrão GS1 QR CODE Digital Link (como nativo para ferramenta PariPassu) para identificação de embalagens primárias informações do site, produto, lote e data de validade. Além de outras informações, como valor nutricional em frutas, legumes e verduras.

“Com a aplicação do projeto, utilizamos as etiquetas com o código 2D com os clientes varejistas. Ela possibilita fazer a leitura deste código de forma direta, permitindo ao consumidor final acessar às informações de origem do alimento, entre outras informações da cadeia”, reforça Wilpert Júnior.

Confira alguns dos benefícios:

  • Disponibilidade do Padrão GS1 QR CODE Digital Link para 100% da base de clientes da PariPassu;
  • + 2.500 Fornecedores de indústrias e supermercados dos mais diversos tipos de FLV;
  • Estes fornecedores representam em toneladas rastreadas por ano 2,4 milhões.

“Nossa missão é tornar às informações acessíveis e úteis para toda a cadeia de abastecimento e a inovação faz parte deste processo. Vamos continuar trabalhando com a GS1, pois continuamos em constante evolução nestes padrões que são utilizados dentro das nossas soluções”, finaliza Nildo.

CATEGORIA: Inovação – Aplicação do Código 2D

VENCEDOR:  Urano/ PROVEDORES: Parla Deli/ BM Informática

Nesta categoria, a Urano foi a grande vencedora. “Somos uma empresa de tecnologia e a balança é um dos seguimentos que nós atuamos”, explica Zenon Leite Neto, da Urano.

A empresa obteve destaque ao desenvolver com a BM Informática, uma solução que possibilitou a Parla Deli, uma loja delicatessen que produz para a sua rede de lojas e para outros clientes, a implantação de um controle de rastreabilidade e validade dos produtos.

O objetivo foi aprimorar a gestão do processo de produção e trazer uma nova experiência de compra ao consumidor por meio do conceito de embalagem estendida, utilizando o padrão bidimensional GS1.

“A necessidade do rastreamento surgiu pela necessidade do controle financeiro e também saber sobre o abastecimento da loja”, explica Marcelo Henrique Silva, da Parla Deli – Recife/PE.

“A Urano entrou com a parte da balança e a BM Informática entrou com o software. Com o nosso software robô, conseguimos otimizar e muito a produção”, disse Benjamin Machado, da BM Informática – Recife/PE.

A ação trouxe uma série de benefícios. Entre eles:

  • Aumento do controle dos produtos fracionados em loja;
  • Validade;
  • Melhor gestão;
  • Visibilidade na cadeia;
  • Melhoria de experiência de compra ao consumidor final no quesito segurança.

Ao explicar um dos benefícios o da validade, Silva explica que “agora se o consumidor, por exemplo, passa um produto que esteja vencido, no caixa, ele trava”, diz o executivo. “Este prêmio é o mais importante, pois ele vem de um sonho que tive há 13 anos que se consolidou. Nada disso seria possível se não tivéssemos este novo padrão da GS1”, finaliza Leite.

CATEGORIA: Automação nos processos de fardamento

VENCEDOR:  Marinha do Brasil

PROVEDORES: Kway/ Slidelog

Crédito: divulgação / Marinha do Brasil.

A Marinha do Brasil foi uma das vencedoras do Prêmio Automação com um case que já trazia um grande desafio: contribuir com a eficiência do sistema de abastecimento da Marinha no processo de automação dos processos de fardamento. “Este material, ao entrar no nosso estoque, precisar ser distribuído de Norte a Sul do Brasil”, explica Andrea, capitão de mar e guerra da Marinha do Brasil.

Para aplicação, havia a necessidade também de uma completa reestruturação do armazém de fardamento da Marinha. Por isso, foi implantando um novo WMS, Sistemas de Prateleiras Automatizadas (AVEP), coletores de dados, esteiras móveis.

Todos os materiais fornecidos passaram a receber etiquetas padronizadas, contendo dados variáveis, como lote, fabricação, serialização, além de informações como o código OTAN e GTIN, tudo codificado no GS1 DataMatrix.

“O projeto de reconfiguração logística foi concebido com o propósito de prover melhorias operacionais. Então, optamos por adotar na nossa operação dois códigos: o linear e o código GS1 DataMatrix”, detalha Fernandes Lima, capitão de Fragata da Marinha do Brasil. Entre os benefícios conquistados, vale destacar:

  • Mais confiabilidade operacional;
  • Aumento da motivação da equipe de trabalho;
  • Mais agilidade e controle na distribuição de materiais de fardamento da Marinha;
  • Redução de OPEX.

“Destaco também a participação dos nossos parceiros, a Slidelog e a Kway, que juntamente com o apoio incondicional da GS1 durante todas as fases do projeto, permitiram que a solução fosse implementada”, afirma Fernandes Lima, capitão de Fragata da Marinha do Brasil

CATEGORIA: Inovação – Aplicação do código 2D

VENCEDOR:  Supermercado Pinheiro

Já o Supermercado Pinheiro do Ceará levantou o troféu na categoria Inovação – aplicação do código 2D. “Nenhum supermercado está em mais regiões do Estado cearense do que a gente”, comemora George Menezes do Supermercado Pinheiro, em Fortaleza/CE.

Entre os desafios da aplicabilidade estavam: o uso de código bidimensional com inclusão de dados variáveis para melhor gestão de produtos de origem animal, que possuem selo de inspeção estadual e que são processados pelo varejo.

“O objetivo do projeto, desenvolvido juntamente com a GS1, foi facilitar a codificação dos produtos. Com o GS1 QR Code, conseguimos compactar em códigos menores e mais rápidos para leitura em nossos PDV”, explica Menezes.

A ação trouxe uma série de vantagens. Entre elas: aumento do controle dos produtos fracionados em loja; melhor controle em loja da validade; melhor gestão; visibilidade na cadeia; e melhoria de experiência de compra ao consumidor final no quesito segurança.

“O prêmio é muito importante para nós porque ele tem a pegada da inovação”, enaltece Alexandre Pinheiro, do Supermercado Pinheiro, em Fortaleza/CE.

“A GS1 Brasil sempre nos incentiva a dar um passo diferente, que traz benefícios para o negócio. Receber este prêmio nos deixa orgulhosos e mostra que estamos fazendo algo inovador”, finaliza Menezes.

CATEGORIA: Aplicação do Padrão GS1-128

VENCEDOR: Grupo BIG / PROVEDOR: PariPassu

O grande vencedor deste case foi o Grupo BIG (antigo Walmart), que opera uma rede multiformato de diversas lojas, agregando bandeiras como Sam’s Club e hipermercados sob as bandeiras BIG e BIG Bompreço.

“Nossa história faz parte de uma trajetória de evolução do varejo no Brasil. Atualmente, são 203 municípios, 398 lojas e 17 centrais de distribuição”, disse, em depoimento à GS1 Brasil, Poliana Carvalho, Grupo BIG.

Neste case, o foco do Grupo estava na automatização do processo de inspeção de qualidade no recebimento de produtos perecíveis nos Centros de Distribuição (CDs), por meio do uso de dispositivos móveis no registro das informações obrigatórias de forma automática. Isso possibilitou o compartilhamento e acesso em tempo real das demais áreas envolvidas no processo, e utilização da leitura dos códigos de barras padrão GS1-128 para identificação dos fornecedores, produtos e lotes.

“Desenvolvemos toda a implantação para a automatização dos processos de controle de qualidade nos perecíveis para agilidade e melhor eficiência no recebimento das mercadorias. Estar próximo da GS1 permite com que tenhamos uma visão clara do futuro”, disse Giampaolo Buso, da PariPassu.

A ação trouxe uma série de benefícios. Entre eles:

  • Econômico: ganhos financeiros de R$ 150mil/dia e redução do uso de materiais.
  • Social: permitiu investimento na avaliação de resultados, valorização de aspectos técnicos e intelectuais do colaborador, pela eficiência operacional.
  • Organizacional: redução de erros na coleta dos dados, confiabilidade e acesso on-line as informações.
  • Melhora de 10% na performance operacional.

“Estar próximo da GS1 permite trabalhar de forma muito mais assertiva e rápida internamente. E o que é mais importante: entregar para o nosso cliente um produto seguro e de qualidade”, finalizou Poliana Carvalho, do Grupo BIG.

CATEGORIA: Aplicação do padrão EPC/RFID

VENCEDOR: Havan/ PROVEDORES: iTAG/ Hasar/ Zebra

A rede de megalojas Havan foi mais uma contemplada com o Prêmio Automação 2021. “Somos uma empresa do varejo que fornece mais de 350 mil itens de todos os produtos para toda a família”, resumiu, em depoimento à GS1 Brasil, o dono da companhia, Luciano Hang.

O projeto teve o objetivo de trazer a identificação de produtos com a tecnologia EPC/RFID para implementar soluções de visibilidade e controle nas lojas e depósitos. A tecnologia EPC/RFID é habilitadora para a implementação de melhorias nos processos operacionais das lojas e centros de distribuição. “Nossa equipe de implantação na Havan, junto com a GS1 Brasil, tem transformado o nosso projeto num projeto de sucesso”, comemora Hang.

Alexsandro Elói Venancio, da Havan, explica que a ação começou há cerca de três anos, quando surgiu uma necessidade de visibilidade de estoque. “Com ela, já conseguimos gerar informação e trabalhar ativamente para faça um movimento de transferência desses produtos para o PDV. Conseguimos reduzir de duas a três horas o atendimento de um pedido para dois a três minutos”, afirma.

Entre outros benefícios do projeto, também vale destacar o fato de permitir entender porque um produto não performava bem na loja; visibilidade de estoque; redução dos níveis de estoque para 30%; redução de custos; habilitação do canal omnichannel, que permitiu utilizar o estoque das lojas para vendas online; e satisfação do consumidor, permite velocidade nas operações.

CATEGORIA: Rastreabilidade com o padrão EPC/RFID

VENCEDOR: ID-COTTON

A ID-COTTON é uma empresa relativamente nova no mercado. Hoje, a companhia trabalha com o processo de rastreabilidade do algodão brasileiro, desde o momento em que ele é colhido no campo até o desembarque nos portos de destino, segundo explica o Flavio Tarasoff, da ID-COTTON. O projeto envolve a identificação dos fardos de algodão desde a origem (fazenda) até o destino final (consumidor) utilizando o Padrão GS1 EPC/RFID (contendo SSCC). Nesse processo, é possível vincular variedade, talhão, produtor, umidade, período de colheita e possíveis contaminantes. “Junto com a GS1, nós agregamos a tecnologia RFID ao sistema de identificação da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e fazemos a integração e trazemos todas as informações pertinentes ao algodão em pluma. O que demoraria dias para acontecer, hoje é feito em algumas horas”, disse Tarasoff.

Entre os principais benefícios desta ação, pode-se citar: 12% ganho na qualidade da pluma (mistura/contaminação); redução de quatro para um colaborador no campo com  maior agilidade e acuracidade; 100% de rastreabilidade total de todo o processo; aumento na capacidade de montagem dos lotes em mais de 30 vezes; eliminação de perdas de fardos no campo e no pátio; além de ganhos operacionais em agilidade, transparência, sustentabilidade e garantia desde a origem. “Esse prêmio nos inspira a buscar participar das próximas etapas da cadeia, desenvolvendo produtos dentro dos Padrões GS1”, finalizou o executivo.

CATEGORIA: Sustentabilidade

VENCEDOR: inpEV

O Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV) é uma entidade sem fins lucrativos, criada por fabricantes de defensivos agrícolas, com o objetivo de promover a correta destinação das embalagens vazias de seus produtos.

Ao buscar a parceria da GS1, a entidade procurava melhorar e aprimorar a rastreabilidade das embalagens vazias, desde o momento em que ela entra no sistema para fazer uma boa gestão, segundo conta o diretor-presidente do inpEV, João Cesar Meneghel Rando. “Junto com a GS1, os objetivos que procurávamos foram bem observados”, disse.

Portanto, a ação foi voltada para a implementação do projeto de rastreabilidade nas Centrais de Recebimento de Embalagens Vazias de Defensivo Agrícola em todo o território nacional com a aplicação do Padrão GS1 DataMatrix na identificação do fardo para reciclagem de embalagens vazias de defensivo agrícola.

Entre os benefícios conquistados pós-implantação, podem-se citar:

  • Escalabilidade: 30 centrais em 2021 – para 2022/23 + 100 centrais;
  • 100 % da confiabilidade nas informações transacionadas consolidadas em tempo real;
  • Eliminação pesagem de caminhão;
  • Automação: eliminação dos inputs manuais no sistema SIC, agilidade nos processos e controles internos;
  • Rastreabilidade: fardos a fardos com informações adicionais como GTIN, Peso, Serial e GLN.

“Nós estamos, sim, junto com a GS1, acreditando: nós precisamos e queremos um mundo muito melhor”, finalizou o gerente de logística do inpEV, Mario Fujii.

CATEGORIA: EDUCAÇÃO

VENCEDOR: Instituto Mauá de Tecnologia

O Centro Universitário Instituto Mauá de Tecnologia está há 60 anos formando profissionais nas áreas de engenharia, administração e design, voltados para o mercado de trabalho. E a GS1 é uma grande parceira já há alguns anos, afirma a Profa. Dra. Alessandra Dutra Coelho. “Este ano, o projeto Horta Automatizada veio agregar a nós com os padrões GS1, tanto na identificação quanto na localização”, disse.

O projeto envolveu várias etapas, contemplando: desenvolvimento de um sistema de aquisição de dados em uma horta instalada na GS1 Brasil; integração dos Padrões GS1 com a Tecnologia (LoRa); identificação e transferência de dados sem fio (IoT); e visualização por meio de  dashboard do funcionamento do sistema e dados captados pelos sensores instalados.

“Esse projeto da Horta Automatizada é focado na área de IoT direcionado para a área de agricultura de precisão”, acrescenta o professor Dr. Wânderson de Oliveira Assis. O engenheiro Rogério Cassares Pires detalha a ação. “Temos sensores que conseguem tanto pegar os parâmetros e ela transmite, via radiofrequência, para uma antena que disponibiliza essas informações tanto num dashboard, quanto na nuvem”, diz.

Entre os benefícios do projeto podem ser considerados os subsídios para a tomada de decisão, visando a implementação de um sistema de irrigação automatizado, proporcionando, por exemplo, redução de desperdícios de recursos hídricos; além da demonstração de  IoT e da agricultura de precisão. “Essa conquista do Prêmio veio a certificar esse caminho de inovação que temos construído ao longo de 60 anos”, finaliza a profa. Dra. Alessandra.

CATEGORIA: Imprensa

VENCEDOR: Áquila Leite, em O Povo

Com o tema “Automação e tecnologia: as armas contra a crise”, a reportagem mostrou como a diversificação de canais de venda, digitalização de processos e padronização têm ajudado empresas brasileiras a sobreviverem à crise global da Covid-19.

Fotos: Marco Flávio dos Santos e Celso Soares Menezes.

Leia também

InpEV e GS1: inovação em tecnologia na economia circular 

Tags

Send this to a friend