Escreva para pesquisar

E-commerce: confira os passos para calcular o frete

Para muitos consumidores, o valor do frete é um ponto de grande relevância na hora de efetivar o pagamento. Afinal, o custo-benefício deve valer a pena em relação ao preço dos produtos adquiridos, pois, caso contrário, o consumidor buscará melhores opções que favoreçam seu orçamento.

Antes de implementar qualquer política de cobrança de frete, deve-se, então, decidir quais serão as opções disponibilizadas dentro do site da loja, na visão do empreendedor, desenvolvedor, hustler e CEO da plataforma online para automação financeira do Brasil iugu, Patrick Negri.

“É preciso ter em mente que aprender a calcular o frete vai além da correlação de pesos e medidas. Deve haver um valor agregado que aumente a taxa de conversão e fortaleça os vínculos do consumidor com a sua marca”, analisa.

Para calcular o frete, normalmente, levam-se em consideração as variáveis mais comuns: dimensões, impostos referentes ao trajeto, distância, prazos para entrega.

Se o envio se dá por transportadoras, cada tabela vai aferir um preço levando em conta as chamadas generalidades ou variáveis.

“Quando uma transportadora envia aos clientes de lojas online a tabela de frete, ela já realizou todos os cálculos de gastos correspondentes com as diversas generalidades, assim como a margem de lucro sobre a tarifa de cada localidade. Se você não levar essas variáveis em conta, ao invés de lucro, amargará prejuízo em suas vendas”, adverte.

Entretanto, se o serviço de entrega da loja for realizado pelos Correios, o site disponibiliza uma calculadora própria para análise de encomendas com destinos nacionais e internacionais. “Há um ícone de preços e prazos em que os campos devem ser preenchidos com a data da postagem e o CEP de origem e de destino. Por último, a escolha do tipo de serviço – via PAC ou SEDEX”, ensina Negri.

Atenção aos tributos envolvidos

Ao analisar os impostos atribuídos pelo correio, é necessário se atentar que as taxas de impostos correspondentes às mercadorias, como Imposto sobre a Circulação de Mercadores (ICMS) e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), são diferentes das relacionadas aos serviços prestados de transporte intermunicipal e interestadual.

Negri lembra, inclusive, que é importante destacar que estes serviços também incidem sobre o valor cobrado no frete e que é fundamental manter a plataforma de pagamento atualizada quanto aos CEPs e localidades.

Nesse sentido, outra solução é adotar sistemas de automação financeira. “A partir do uso da tecnologia, é possível fazer um estudo minucioso de valores, localidades e dimensões, conforme as necessidades e particularidades de cada cliente, de maneira mais rápida e assertiva”, indica.

Para cada uma das generalidades previstas, a parametrização deve encontrar soluções práticas de cálculo e disponibilizá-las ao consumidor assim que o CEP for informado. “A agilidade conta muito e é importante conhecer todos os recursos e facilidades antes de contratar um serviço”, finaliza o especialista da iugu.

Com a alta competitividade e similaridade dos produtos, se atente aos pontos levantados, pois é preciso elaborar um cálculo de frete justo, baseado em detalhes que não podem ser esquecidos. Fazendo isso, você melhora o seu negócio, aumenta a sua vantagem competitiva e amplia suas vendas.

Foto: iStock

Tags

Send this to a friend