Escreva para pesquisar

Dia do Cliente: A importância do EAN/GTIN da GS1 Brasil

À medida que celebramos o Dia do Cliente neste 15 de setembro, é propício destacarmos uma ferramenta que vem ganhando espaço significativo na otimização das vendas em marketplaces: o EAN/GTIN da GS1 Brasil. Mas antes de mergulharmos nessa discussão, vale a pena entender o cenário atual do e-commerce brasileiro.

Segundo o último levantamento, as plataformas Mercado Livre, Amazon e Shopee encabeçam a lista dos marketplaces mais populares no Brasil. Este dado não apenas evidencia a força desses espaços virtuais no comércio nacional, mas também sinaliza uma oportunidade crescente para comerciantes de variados portes.

EAN/GTIN: O que é e por que é relevante?

50 anos de gtin

Há 50 anos os maiores líderes do mercado de alimentos, varejo e bens de consumo desenvolveram o Número Global do Item Comercial, ou, simplesmente, EAN/GTIN.

No centro dessa dinâmica está o Número Global do Item Comercial (EAN/GTIN), um sistema de padronização desenvolvido pela GS1 Brasil.

Trata-se de uma sequência numérica única e intransferível, atribuída a cada unidade de um produto, facilitando a sua identificação e rastreamento em qualquer ponto da cadeia de suprimentos.

Além de ser um diferencial para a visibilidade dos produtos, o EAN/GTIN serve como um certificado de autenticidade e qualidade, operando como um selo que garante a originalidade do item, aspecto cada vez mais valorizado pelos consumidores.

Implicações práticas no e-commerce

e-commerce

Ao adotar o EAN/GTIN em seus produtos, vendedores não apenas atendem a uma exigência dos grandes marketplaces, mas também ganham em estratégia competitiva.

Além de agilizar o processo de listagem dos produtos ou “onboarding” produtos nos marketplaces, a utilização do EAN/GTIN facilita a localização dos produtos pelos algoritmos de busca, colocando os anúncios dos seus produtos sempre em destaque nas campanhas promocionais.

Outro ponto importante, que a utilização do código EAN/GTIN da GS1 traz, é a garantia que o produto que está sendo listado no catálogo do marketplace será exatamente o mesmo produto que existe no estoque e será enviado ao consumidor.

Isso ajuda a melhorar a satisfação do consumidor em receber o produto correto e dentro do prazo, o que eleva os indicadores dos vendedores dentro das plataformas de marketplace, e isso, é lógico, reverte em mais exposição e mais vendas dos seus produtos!

Uma prática muito comum aos vendedores de marketplace, e a combinação de produtos, ou também conhecidos como kits, que geram ofertas de valor ao consumidor e aumento do ticket médio ao vendedor e com o código EAN/GTIN da GS1 Brasil, o vendedor consegue identificar esse kit com a sua marca e com isso, conseguir vender nas plataformas e dar opções diferenciadas aos seus clientes.

Assim, essa ferramenta emerge como um recurso valioso para vendedores que buscam aprimorar a visibilidade de seus produtos, destacando-se em um mercado cada vez mais competitivo.

Quem pode contratar os códigos GS1?

e-commerce

Qualquer empresa pode utilizar as licenças dos códigos GS1, em especial, os  donos de marca, sejam eles os fabricantes, importadores, que importam produtos e colocam sua marca, distribuidores e os próprios vendedores, quando querem identificar produtos que não possua código ou suas combinações de produtos (kits).

Passos para a implementação

e-commerce receita

Para começar a usufruir dos benefícios do EAN/GTIN, o primeiro passo é solicitar a licença dos códigos com a GS1. Em seguida, é crucial preencher o Cadastro Nacional de Produtos de forma detalhada e consciente, inserindo informações precisas sobre cada item que será anunciado.

Unindo essa iniciativa a técnicas de SEO bem aplicadas, os varejistas podem não apenas melhorar a visibilidade de seus produtos, mas também enriquecer a experiência do cliente, aspecto central para o crescimento sustentável no cenário atual do e-commerce brasileiro.

Neste Dia do Cliente, é essencial refletir sobre ferramentas e estratégias que potencializam não apenas as vendas, mas a satisfação do consumidor, construindo uma relação de confiança e transparência que vai além da simples transação comercial.

Foto: iStock

Leia também

O que esperar para o código de barras no futuro?

 

Tags