Escreva para pesquisar

Dia Mundial do Meio Ambiente: o desafio do plástico

Comemorado hoje, em 5 de junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente, tem como pauta emergente a produção mundial de plástico.

Este material, onipresente e útil, torna-se problemático quando descartado em lixões e na natureza. Contudo, a história pode ser diferente por meio da economia circular.

De acordo com o Panorama dos Resíduos Sólidos de 2022 da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), o Brasil produz anualmente 13,8 milhões de toneladas de resíduos plásticos, equivalente a 64 quilos por pessoa.

Isso representa 23,2% do total de resíduos sólidos produzidos no país em 2022. A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) informa que apenas 23,4% desses resíduos foram reciclados em 2021.

No entanto, a reciclagem, mesmo sendo menor que um quarto do total, teve impacto significativo na geração de empregos e renda. Em 2021, a reciclagem de plásticos faturou R$ 4 bilhões e gerou 14,7 mil empregos em 1,3 mil empresas. Se todo o resíduo plástico fosse reciclado, o setor poderia gerar aproximadamente R$ 12 bilhões e empregar cerca de 58,8 mil pessoas.

Edson Grandisoli, coordenador pedagógico do Movimento Circular, aponta para a complexidade do processo de reciclagem, considerando a diversidade de tipos de plástico. Cada tipo tem componentes distintos, que dificultam ou até impedem a reciclagem.

Grandisoli destaca a necessidade de se explorar maneiras alternativas de reaproveitamento do plástico, como reuso, remanufatura, reciclagem mecânica e reciclagem avançada. Ele enfatiza também a importância do retorno de resíduos e da reutilização de produtos, limitando a extração de recursos finitos e a geração de resíduos.

O plástico na Economia Circular

conceito de economia circular

A Economia Circular pode trazer a reciclagem avançada, a possibilidade de desmontar os plásticos em suas moléculas e combiná-las novamente para criar um novo tipo de plástico. Segundo Grandisoli, isso pode revolucionar a indústria e contribuir para uma economia mais circular.

Em busca de um futuro sustentável, Grandisoli cita outros conceitos promissores, como produtos reutilizáveis, produtos em camadas, e a substituição de produtos por serviços.

Ele sugere ainda que a separação dos materiais após o uso já está gerando oportunidades para as cooperativas e catadores, e que essa tendência pode ser intensificada com a utilização de novas tecnologias.

Grandisoli ressalta que a economia circular se inspira na natureza. Um exemplo é o desenvolvimento de uma cola inspirada no muco da lesma, que é extremamente aderente, mas se decompõe em água e nutrientes.

O avanço na economia circular, segundo Grandisoli, é uma das principais maneiras de garantir que o Dia Mundial do Meio Ambiente possa ser verdadeiramente celebrado por todos.

Foto: iStock

Leia também

InpEV e GS1: inovação em tecnologia na economia circular

 

Tags

Send this to a friend