Escreva para pesquisar

Eduardo Terra dá dicas para transformação digital do varejo

Já faz tempo que o consumidor, cada vez mais conectado, demanda novas formas de relacionamento e de compra de produtos e serviços, mais conveniência e personalização.

Na esteira dessa mudança de comportamento, a transformação digital do varejo é fundamental para aumentar a eficiência operacional, trazer inovações e entregar novas experiências de consumo. O ponto de partida é cuidar dos dados, que precisam fazer parte da estratégia da empresa.

Para comentar como está o cenário de transformação digital no varejo brasileiro, a reportagem do Portal de Notícias GS1 Brasil conversou com o presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), Eduardo Terra.

Ele, que também é palestrante, conselheiro de empresas e sócio da BTR – Varese, acredita que a transformação digital está avançando aos poucos no País.

“Tenho falado sobre isso no meu canal no Youtube, nas minhas palestras e nos conselhos de empresa que participo há, pelo menos, cinco anos. Nos últimos dois anos isso começou a mudar. Hoje é um tema com muito mais eco, mas ainda é uma realidade muito heterogênea”, comenta.

O ponto positivo, segundo ele, é que o mercado já está consciente da necessidade de fazer a transformação digital. “Podemos dizer que encontramos pouca negação, o que, para mim, já é uma vitória. A negação é quando as empresas dizem que não é com elas essa conversa, que isso não vai acontecer, que é coisa da China ou dos Estados Unidos. Escuto cada vez menos isso”.

Assista ao vídeo

Mudança desafiadora

Eduardo Terra lembra que transformação digital não se trata de falar das empresas nativas digitais, ou seja, que nasceram digitais e estão transformando o varejo como um todo, como Amazon ou Alibaba.

“Transformação digital é você pegar uma empresa de varejo tradicional que lidera ou liderava o seu segmento e transformá-la a partir da digitalização. Um caso de sucesso é o do Magazine Luiza, que era uma companhia 100% analógica e que fez uma passagem muito bem feita e hoje é completamente digital”, afirma.

Decisões complexas

Como começar a transformação digital no varejo? Dar esse passo inicial ainda gera muitas dúvidas entre as empresas, mas, de fato, requer uma análise minuciosa. Afinal, “a transformação digital não pode ser uma agenda de desespero”, segundo Eduardo Terra.

“Tem de se equilibrar os investimentos, porque a empresa precisa continuar entregando resultados de curto prazo. É uma corrida de 100 metros, mas tem uma maratona para se fazer ao mesmo tempo. Não se pode errar muito, porque são investimentos grandes e os caminhos estratégicos não são simples: vou entrar para um marketplace ou criar o meu? Vou abrir o e-commerce – como e de que jeito? O que faço com as lojas físicas? Enfim, não são decisões tão simples a serem tomadas, mas todo mundo está dando alguns passos nesse sentido”.

Importância dos dados para o varejo

Os dados são a base para o varejo conduzir estratégias assertivas e conseguir fazer a transformação digital.

“A grande batalha do futuro será de quem tem o dado relevante do cliente. Os aplicativos de entrega são um exemplo, porque têm o dado do cliente e, portanto, passam a ter o cliente”, afirma Eduardo Terra.

Não é a toa que o dado é considerado o novo petróleo. “Se não extrair o petróleo, limpá-lo, refiná-lo, distribuí-lo e monetilizá-lo, ele é apenas um óleo bruto embaixo da terra. Com o dado do cliente e do produto é a mesma coisa. O dado sujo e bruto não vale nada. Mas a partir do momento que se tem dados organizados, limpos, seguros, e, partir de 20 de agosto, em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados, a empresa os utiliza para se relacionar e tomar decisões”, explica.

Nesse aspecto, afirma o presidente da SBVC, o principal exemplo é o da Amazon, que construiu o seu valor – hoje estimado em mais 1 trilhão de dólares – com uma estratégia centrada em dados. “Estamos indo da prática para a teoria, não é mais uma hipótese, mas uma realidade”.

Na visão do especialista, grande parte das estratégias depende de ter qualidade de dados do cliente e de produto. “É a fundação de uma empresa de varejo que quer sobreviver e prosperar no futuro”, conclui.

Foto: Equipe Portal de Notícias GS1 Brasil
Tags