Escreva para pesquisar

Embrapa desenvolve nanossensor para rastrear frutas

Pesquisadores da Embrapa Instrumentação, em um projeto de inovação aberta junto com a Siena Company, desenvolveram um sensor de baixo custo com nanotecnologia e inteligência artificial, capaz de rastrear e monitorar o grau de maturação das frutas que amadurecem depois da colheita (chamadas climatéricas).

O nanossensor foi batizado de Yva (fruta, em tupi-guarani) e é similar a um QR Code, permitindo analisar a fruta por qualquer câmera de celular. Ele detecta a liberação do etileno (hormônio natural no amadurecimento de frutos climatéricos), que, ao reagir com nanopartículas em pó, vai mudando de cor, conforme o fruto amadurece.

A mudança é interpretada por meio de um aplicativo de celular, que indica quando o fruto deverá estar maduro e adequado para o consumo ou o ponto específico em que atingirá o estágio de melhor apreciação pelo consumidor final.

Testes foram realizados com manga, mamão e banana, mas é possível utilizá-lo em frutas, como pêssego, caqui, ameixa e maracujá, segundo a Embrapa.

O nanossensor, que pode ser acondicionado dentro de embalagens plásticas ou em caixas de frutas, é destinado a vários segmentos, como, produtores e processadores de frutas, atacadistas, varejistas, associações, cooperativas e empresas exportadoras.

O vídeo a seguir mostra o funcionamento do sistema de rastreabilidade e monitoramento do grau de amadurecimento de frutos.

Aplicações

O sensor foi desenvolvido para ajudar a diminuir perdas e desperdício de alimentos ao longo da cadeia produtiva.  A tecnologia será apresentada, pela primeira vez, no estande da Embrapa na feira Anufood Brazil, entre os dias 9 e 11 de março de 2020, no São Paulo Expo, na capital paulista.

A tecnologia permite várias aplicações:

– monitorar a qualidade desde a colheita até chegar ao consumidor

– auxiliar a gestão dos estoques

– aprimorar a eficiência do sistema e reduzir perdas de alimentos

– auxiliar o cumprimento da Instrução Normativa Conjunta nº 2/2018, medida emitida pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que define procedimentos de rastreamento de frutas, legumes e verduras (FLV).

Da pesquisa para o mercado

O Yva é descartável e deve chegar ao mercado com custo baixo – estimado entre 8 e 10 centavos de real por quilo de fruta, segundo informações da Embrapa Instrumentação.

teste com sensor de maturacao de fruta da embrapa

Com o desenvolvimento e a prova de conceito da tecnologia concluídos, o próximo passo é captar recursos em torno de R$ 800 mil, a fim de que a tecnologia possa chegar ao mercado.

A equipe responsável envolveu os pesquisadores da Embrapa Instrumentação Marcos David Ferreira e Daniel Souza Corrêa; e a gerente de projetos Ana Elisa Siena, da Siena Company. Ela esteve à frente do desenvolvimento de software para leitura do QR Code, que permite a padronização do sensor lote a lote, fornecendo a rastreabilidade da produção dos frutos.

O projeto teve duração de dois anos e contou com o apoio de recursos de R$ 220 mil do Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec), uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), operado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Os testes foram realizados no Laboratório Nacional de Nanotecnologia para o Agronegócio (LNNA), em São Carlos (SP), um dos oito laboratórios estratégicos do Sistema Nacional de Laboratórios de Nanotecnologia (SisNano), do MCTIC.

Fotos: Gabrielle Araújo

Tags

Send this to a friend