Escreva para pesquisar

Empresas com governança da inovação crescem duas vezes mais

Estudo da Accenture mostra que menos de uma em cada oito empresas conta com ações de governança extensiva da inovação. Mas, aquelas que adotam essa prática apresentam duas vezes o crescimento da receita em comparação com empresas que optam por uma governança mais acidental da inovação.

O estudo intitulado Governing Innovation: The Recipe for Portfolio Growth é baseado em um levantamento global junto a executivos de mil empresas, que inclui análise financeira dessas companhias e entrevistas aprofundadas com especialistas em inovação do mercado e do meio acadêmico.

O objetivo do estudo foi determinar como as empresas aplicam diferentes tipos de inovação em seus portfólios, identificar as formas de alocação de investimentos em inovação, além de ajudar os executivos a entenderem como aplicar ações de governança mais estratégicas a fim de obter melhores retornos dos seus investimentos em inovação.

Disciplina para inovar

O estudo revela que apenas 12% das empresas fazem a governança da inovação de forma extensiva. Entre 2013 e 2018, a média da taxa anual de crescimento composto (CAGR) dessas empresas foi 5,9%, contra média de 2,9% para os demais 88% das empresas que optam por governar a inovação de forma mais aleatória.

Enquanto 84% dos executivos entrevistados afirmaram que governam a inovação de forma centralizada – por exemplo, por meio da figura de um comitê ou de um diretor de inovação (CIO) – o estudo observa que a tomada de decisão e a gestão centralizadas podem não ser suficientes.

“As empresas ainda precisam de muita disciplina para transformarem seus investimentos em inovação em crescimento efetivo”, afirma o Chief Technology Innovation Officer (CTIO) da Accenture, Paul Daugherty. “Muitas ainda enxergam a inovação como aquela força criativa que não pode ser controlada, mas nosso estudo mostra que uma abordagem sistêmica da gestão e a governança extensiva da inovação pode ter impacto financeiro significativo.”

O estudo usa o modelo Portfolio Innovation da Accenture, que analisa a aplicação de três tipos de inovação (incremental, revolucionária e disruptiva) em empresas de diferentes níveis de maturidade (legada, em crescimento e emergente).

A Accenture constatou que as empresas que abordam a inovação de forma mais aleatória hoje, mas planejam uma mudança para um estilo de governança extensiva da inovação, esperam mais que dobrar o crescimento anual composto da receita em nível de portfólio – de 2,9% para 6,5%, em média.

“Enquanto algumas pessoas temem que a governança paralise a inovação, a realidade é que uma abordagem sistêmica da gestão da inovação é essencial para obter um desempenho financeiro superior. No fim das contas, essa forma diferente e ativa de governança se traduz em investimentos mais estratégicos em inovação em nível de portfólio”, diz a diretora-geral da Accenture Research, Vedrana Savic.

Foto: Getty Images

Tags

Send this to a friend