Escreva para pesquisar

Funcionários esperam mudanças no local de trabalho pós-Covid

A Robert Half, uma das maiores empresas de recrutamento especializado no mundo, entrevistou mais de 800 profissionais no Brasil sobre home office e o futuro do trabalho.

Dentre os entrevistados, 78% disseram que estão trabalhando em casa. Eles foram questionados sobre os sentimentos positivos nas últimas semanas. As principais respostas foram: “sei que é possível realizar meu trabalho de casa” (67% das respostas) e “meu equilíbrio entre trabalho e vida pessoal melhorou por não haver necessidade de deslocamento” (49%).

Mas, apesar dos sentimentos positivos, 52% acreditam que estão trabalhando mais horas em casa do que antes. Apenas 15% afirmaram trabalhar menos horas no home office.

“Quando as empresas abrirem suas portas novamente, os negócios serão diferentes. Os empregadores e suas equipes têm demonstrado bastante habilidade em operar a partir de diferentes localidades. Por isso, haverá lições importantes aprendidas que guiarão a relação de trabalho no futuro”, diz o diretor geral da Robert Half, Fernando Mantovani.

Retorno ao escritório

De acordo com a pesquisa, os profissionais brasileiros esperam mudanças no local de trabalho:

  • 86% gostariam de trabalhar remotamente com mais frequência do que antes da pandemia.
  • Ao mesmo tempo, 45% acreditam que será mais difícil construir relacionamentos fortes com colegas se as equipes não estiverem no mesmo prédio.
  • 53% dos profissionais se preocupam em estar muito próximos dos colegas no retorno aos escritórios.

Protocolo de negócios no pós-pandemia

À medida que começa a se planejar uma flexibilização do isolamento social, haverá mudança, também, no comportamento dos colaboradores. Segundo os profissionais entrevistados:

  • 77% planejam agendar menos reuniões presenciais.
  • 64% vão repensar o ‘aperto de mãos’ nas relações de negócios.
  • 62% vão reconsiderar participar de eventos de negócios.
  • Quase 6 em cada 10 profissionais passarão menos tempo em áreas comuns do escritório (58%) e 52% vão reconsiderar viajar a negócios.
  • 72% acham que haverá menos atividades sociais e de engajamento dos times no formato presencial.

Os funcionários esperam que a empresa se adapte ao novo normal, tanto que 91% acham que a empresa deveria permitir o trabalho em casa com mais frequência e 72% que a empresa deveria realizar menos reuniões e treinamentos presenciais. Também foram citados: melhores procedimentos de limpeza, horários escalonados de trabalho e uso obrigatório de máscaras.

“Isso nos revela que todas as funções do escritório podem mudar como resultado de lições que estamos aprendendo enquanto lidamos com a COVID-19. O local de trabalho físico poderá até se tornar a alternativa, enquanto o home office vira a primeira opção. Nesse cenário, os colaboradores podem acabar indo ao escritório apenas para reuniões importantes com executivos e fornecedores, por exemplo”, afirma Mantovani.

“Por enquanto, a principal preocupação para empresários e gestores é a reabertura. O cronograma e o escopo para o retorno dos funcionários podem variar drasticamente de uma empresa para outra. Cada empresa e cada indivíduo retornará quando considerar apropriado e seguro. Talvez o melhor presente que um gestor pode dar a seus funcionários nas próximas semanas seja deixar claro que ele não espera que eles retornem até que estejam prontos. A ideia é aumentar a motivação e promover a lealdade”, finaliza.

Foto: Getty Images

Tags

Send this to a friend