Escreva para pesquisar

Índice de Automação das empresas aumenta 4% em 2019

O Índice de Automação do Mercado Brasileiro, elaborado pela GS1 Brasil, registrou crescimento de 4% em 2019, mostrando que, apesar do momento de cautela com relação à economia, as companhias estão investindo em automação em busca de maior produtividade e competitividade.

Considerando uma escala de 0 a 1, o índice para o ano de 2019 foi de 0,260, contra 0,250 registrado no ano anterior.

tabela indice de automacao gs1 empresas geral

Para elaborar o indicador, a GS1 Brasil conta com o apoio metodológico da GfK, que realiza um estudo em todo o território nacional, com metodologia quantitativa e acompanhamento contínuo.

Dessa forma, o Índice de Automação do Mercado Brasileiro traz um panorama detalhado da adoção e do impacto da automação entre empresas (indústria, comércio e serviços) e consumidores, possibilitando visualizar como a automação é adotada no País.

Além disso, ajuda a compreender onde estão os gargalos da operação e em quais áreas o uso da tecnologia ainda é incipiente. Partindo dessa visão, as empresas podem entender se estão no mesmo patamar de suas concorrentes nacionais, identificando em quais áreas devem investir para continuarem competitivas.

Comércio e Serviços eleva nível de automação

No segmento de Comércio e Serviços, o Índice de Automação aumentou 8,8%, avançando de 0,204 para 0,222.

Considerando os tipos de estabelecimentos, o indicador para 2019 cresceu em todos os canais, com destaque para o E-commerce:

  • Atacado: 0,236 (0,224 em 2018)
  • Varejo:0,234 (0,213 em 2018)
  • E-commerce: 0,317 (0,295 em 2018)
  • Serviços: 0,190 (0,176 em 2018)

Nas seis dimensões analisadas para o segmento de Comércio e Serviços, o índice também apresentou resultados positivos:

  • Loja: 0,101 (0,090 em 2018)
  • Sistemas: 0,356 (0,291 em 2018)
  • Logística: 0,348 (0,338 em 2018)
  • Atendimento: 0,204 (0,199 em 2018)
  • Relacionamento com colaborador: 0,129 (0,126 em 2018)
  • Relacionamento com cliente: 0,149 (0,136 em 2018)

Indústria registra estabilidade

Já no segmento de Indústria, o crescimento do Índice de Automação foi mais discreto (0,7%), passando de 0,296 para 0,298.

Na análise por tipo de indústria, o indicador apresentou os seguintes resultados:

  • Bens de consumo não duráveis: 0,326 (0,327 em 2018)
  • Bens de consumo semiduráveis: 0,259 (0,249 em 2018)
  • Bens de consumo duráveis: 0,295 (0,296 em 2018)
  • Bens intermediários: 0,313 (0,307 em 2018)
  • Bens de capital: 0,292 (0,313 em 2018)

Nas seis dimensões analisadas para o setor de Indústria, o Índice de Automação teve crescimento de 10% com relação à 2018.

  • Fábrica: 0,344 (0,351 em 2018)
  • Sistemas: 0,467 (0,423 em 2018)
  • Logística: 0,417 (0,418 em 2018)
  • Atendimento: 0,344 (0,351 em 2018)
  • Relacionamento com colaborador: 0,121 (0,130 em 2018)
  • Relacionamento com cliente: 0,097 (0,104 em 2018)

Pequenas e médias em destaque

No recorte que analisa a automação por porte das organizações, as pequenas empresas tiveram destaque, aumentando o nível de automação de 0,234 para 0,244, entre 2018 e 2019.

Considerando o segmento de Comércio e Serviços, as companhias tiveram desempenho ainda melhor. Nas pequenas empresas o Índice de Automação passou de 0,196 para 0,213, e nas médias empresas saltou de 0,257 para 0,290, no período.

indice de automacao gs1 empresas por porte

Metodologia

O Índice de Automação do Mercado Brasileiro é elaborado após quatro trimestres de diagnóstico, considerando seis dimensões para representar a automação nas empresas em toda sua complexidade: sistemas, logística, atendimento, relacionamento com colaborador, relacionamento com cliente, loja (para o setor de comércio/serviços) e fábrica (no caso da indústria).  O indicador também traz dados sobre a automação para consumidores.

O índice é obtido pela avaliação desses itens e é representado por um número com intervalo de 0 a 1.

Para o estudo de 2019, foram consultadas 2.833 companhias do setor de comércio e serviços e 1.979 empresas da área da indústria. Foram entrevistados profissionais maiores de 18 anos, responsáveis pelo processo de automação das organizações, com mais de seis meses no cargo de empresas pequenas, médias e grandes de todo o Brasil.

A margem de erro é de 1,8% para o segmento de comércio e serviços e de 2,2% para a indústria, com intervalo de confiança de 95%.

Foto: Getty Images

Tags

Send this to a friend