Escreva para pesquisar

Tags: , , ,

Mais da metade das PMEs se considera preparada para o PIX

Uma pesquisa realizada pela fintech Zoop, em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), aponta que 64,1% das pequenas e médias empresas (PMEs) se consideram preparadas para operar com o PIX, o novo sistema de pagamento instantâneo do Banco Central do Brasil (Bacen) que começa a ser disponibilizado hoje no País. As PMEs também esperam que a adoção do PIX se dê mais rapidamente entre os jovens, bem como projetam um impacto sobre as transações em cartão de débito, no primeiro momento.

A pesquisa teve o objetivo de entender as percepções e expectativas das PMEs envolvidas diretamente com o comércio sobre o PIX e os possíveis impactos sobre seus negócios, a partir do lançamento oficial do produto. Foram ouvidos representantes de empresas com média de 100 funcionários e atuação nos setores de e-commerce e marketplace, ERP e facilitadoras de pagamento.

Os resultados do levantamento reforçam as expectativas sobre as mudanças no mercado financeiro. Entre as PMEs, 32,6% acreditam que o PIX trará um impacto a todas as modalidades de pagamento. Neste mesmo ponto, outros 32,6% projetam que o novo sistema afetará principalmente as transações com cartão de débito.

É consenso que o PIX tende a democratizar o acesso ao sistema financeiro a todos os perfis. Contudo, 52,2% dos entrevistados acreditam que a adesão ao sistema se dará mais rapidamente entre os consumidores mais jovens, de até 30 anos de idade. Além disso, os entrevistados apontam que principais vantagens para os consumidores serão a transferência instantânea, a simplicidade do sistema e a gratuidade. Para as PMEs, a expectativa é de tarifas mais baixas nas operações.

O co-fundador e diretor de Estratégia e Produtos da Zoop, Alessandro Raposo, ressalta que o sistema de pagamento instantâneo é uma parte do que o sistema financeiro promete ser no futuro, principalmente com a agenda do Open Banking. “As novidades trazidas ao setor tornarão o mercado mais aberto e digital, ambiente propício para o surgimento de plataformas que ajudarão as empresas a criarem serviços financeiros diferenciados e centrados nos consumidores”, afirma o executivo.

Apesar de 71,9% dos entrevistados se considerarem bem informados sobre o tema de uma forma geral, houve quem apontasse possíveis desvantagens do PIX. Entre os entrevistados, 31,5% afirmam que a impossibilidade de chargeback, o cancelamento e estorno para compras por engano, seria uma das características sistema.

No entanto, Raposo, explica que, embora pareça que não há chargeback para o PIX, a autenticação garante essas operações no e-commerce. “Quem opera hoje no comércio eletrônico já está habituado com o sistema de autenticação para compras no cartão de crédito. A autenticação do PIX é muito similar e já surge como obrigatória, garantindo o bom funcionamento desse meio de pagamento, tanto para consumidores quanto para vendedores”, afirma.

Foto: Getty Images

Leia também

Open banking: o futuro do sistema bancário

Tags

Send this to a friend