Escreva para pesquisar

Marketplace: 4 dicas para conquistar novos clientes

Grande parte das vendas no comércio eletrônico, e também do marketplace, vem de datas comemorativas, que também têm relevante participação na economia global. Esses períodos são responsáveis por estratégias diferenciadas para ganharem destaque em um ambiente de competição virtual. No Dia dos Pais do ano passado, o faturamento no e-commerce atingiu o valor total de R$ 5,9 bilhões, segundo os dados da Neotrust, e as expectativas de vendas para 2023 são ainda maiores.

“Devido ao crescimento do setor, é importante que as empresas estejam alinhadas com as tendências e inovações que surgem a cada ano de forma acelerada, ainda mais quando falamos em datas comemorativas de alta demanda. Mas vale usar essas datas a seu favor e manter as atenções voltadas ao grande objetivo de oferecer experiências únicas aos consumidores, que consequentemente se fidelizam e geram lucratividade aos negócios”, pontua Matheus Pedralli, CEO da Omnik, empresa do Grupo FCamara.

O marketplace atua cada vez mais como solução que atende às necessidades dos negócios de ponta a ponta, trazendo a conveniência para o cliente e a escalabilidade para os vendedores. Apesar de oferecer desafios, traz inúmeras vantagens: melhor resultado final, maior número de vendas e produtos, expansão de alcance e visibilidade e elevação do ticket médio.

Tendências no marketplace

Pedralli fez uma lista com algumas das principais tendências dos marketplaces que são importantes para serem “seguidas”. Acompanhe:

1. Experiência phygital

Reforçando a importância de gerar ao cliente experiências únicas, eficazes e personalizadas, torna-se primordial incorporar tecnologias a experiências presenciais. “Integrar a experiência física e digital permite que o consumidor tenha mais agilidade e poder de escolha.

Tecnologias como QR code e realidade aumentada, por exemplo, estão em alta diante dessa tendência, e trazem o aperfeiçoamento da experiência do cliente”, comenta Pedralli.

2. Entrega rápida e frete grátis

Apesar de óbvios, são itens que precisam ser reforçados e bem estruturados para serem colocados como prioridade, sem refletir de forma negativa nos lucros da empresa. Eles são capazes de fidelizar ou quebrar um vínculo, fazendo toda a diferença na experiência do consumidor.

“O público que consome e compra online é cada vez mais exigente e tem pressa, ou seja, não quer mais esperar dias e dias para receber um produto ou serviço. Portanto, é necessário pensar em alternativas de entrega, dando inclusive a opção da retirada nas lojas, que traz à tona também a experiência omnichannel”, fala o executivo.

A pesquisa Abandono de Carrinho 2022, da Opinion Box, mostrou que 66% dos consumidores desistem de compras quando o valor do frete é mais alto do que o esperado. “O frete ainda é um desafio no mercado, mas, para os consumidores, é um fator decisivo, já que muitas vezes a compra aumenta consideravelmente dependendo do frete proposto. Nesse caso, também é possível pensar em maneiras de otimizar a experiência zerando o frete, se possível, ou cogitando opções de retirada segura”, completa Matheus.

3. Flexibilidade no pagamento

Uma das grandes frustrações dos consumidores é chegar até o final do seu pedido e não encontrar a forma de pagamento que previa utilizar, abandonando, assim, o carrinho cheio.

Os marketplaces, justamente por serem plataformas abrangentes de produtos e serviços, precisam igualmente inovar e oferecer todas possibilidades para seus clientes. Em paralelo, é recomendado também disponibilizar descontos dependendo da escolha dos pagamentos, para que o consumidor tenha a sensação de gastar ainda menos do que esperava.

4. Uso das redes sociais para divulgação

A geração Z tem tido grande poder de compra nos marketplaces, e grande parte deles é atingida pelas redes sociais. Exemplo disso são os dados divulgados pelo TikTok: um em cada quatro usuários (23%) afirmaram que descobriram algo na plataforma e foram comprar imediatamente na internet.

“Por isso, é importante haver investimento em publicidade, marketing e até mesmo influenciadores digitais, com intuito de atingir o público que cresce fortemente nas compras online”, conclui Pedralli.

Foto: iStock

Leia também

A união entre e-commerces, marketplaces e ESG na logística

Tags