Escreva para pesquisar

Novidades em meios de pagamento em 2024, o que esperar?

O sistema financeiro brasileiro e, consequentemente, seus meios de pagamentos são abrangentes e inclusivos, permitindo a inserção de muitos indivíduos em seu fluxo.

Um dos grandes protagonistas deste cenário é o Pix, que neste ano completou três anos de existência.

Segundo dados do Banco Central, 148 milhões de usuários pessoa física já fizeram ao menos uma transação; em setembro o Pix alcançou a marca de quatro bilhões de transações, e ainda registrou muitos outros feitos.

Já para 2024, a grande expectativa para o sistema de pagamento é o lançamento do Pix Automático.

A função anunciada pelo BACEN deverá entrar em vigor para o grande público em outubro.

“O Pix Automático permitirá que uma empresa receba pagamentos recorrentes de forma instantânea e automatizada, eliminando a necessidade de processos manuais e demorados, o que melhora a eficiência dos seus fluxos de caixa e reduz os riscos. Além disso, a instantaneidade é garantia de receita imediata ao recebedor, uma vez que o processo visa a substituição de meios de pagamento mais caros, burocráticos e demorados, como é o caso do boleto”, comenta Daniela Machado, diretora global de produtos e marketing C&M Software.

Meios de pagamento: Pix Automático

Existe uma expectativa que aconteça a migração dos meios tradicionais, como boleto e débito automático para o novato Pix Automático.

A rapidez do Pix e a simplicidade de gestão fazem parte da rotina do brasileiro usuário do Pix, o que facilita a adesão de forma mais orgânica e efetiva.

Programar e pagar contas de forma recorrente, como conta de luz, mensalidades, seguros, etc, são otimizadas pelo pagamento instantâneo, conseguindo definir um valor máximo para o débito desta conta.

“É novamente o Pix eliminando “man of the middle”, onde no modelo tradicional, já consumiu share dos cartões, e agora para contas recorrentes, receberá o percentual do boleto, DDA e débito automático; o que acaba sendo maior lucratividade na mão do recebedor e autonomia para o pagador”, afirma Machado.

Open Insurance e cenário internacional

Além disso, a partir do segundo semestre de 2024, o Open Insurance começa a andar em passos largos, havendo uma aceleração e maior inclusão de participantes no projeto.

Os principais dados que serão compartilhados neste projeto serão:

Apólices
Certificados e títulos relacionados aos produtos de seguros
Previdência complementar aberta
Capitalização e assistência financeira, abrangendo informações relacionadas a características destes documentos
Pagamento de sinistros, prêmios/contribuições recolhidas e resgates efetuados.

“Aos moldes do open finance, o open insurance tem grande potencial mercadológico, quanto na geração de novos produtos para atender esta demanda”, comenta.

Já no cenário internacional, a expectativa é para a expansão do FedNow, o meio de  pagamento instantâneo implementado pelo Federal Reserve em julho de 2023, já tendo a aderência de mais de 285 IF participantes.

Foto: iStock

Leia também

MEI: mesmo com riscos tributários, PIX é o meio de pagamento mais aceito

 

Tags

Send this to a friend