Escreva para pesquisar

Mix Fiscal entrega inteligência tributária para pequenos e médios varejistas

mix fiscal

Carol Tonegutti e Fabrício Tonegutti, da Mix Fiscal. Crédito: divulgação

Entender e aplicar de forma correta os tributos no Brasil não é tarefa fácil. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), são criadas, em média, 46 novas normas tributárias a cada dia útil no País.

Para o varejo alimentar, esse desafio se torna ainda maior, diante da quantidade de itens que precisam ser controlados diariamente.

Frente a esta demanda, há 16 anos nasceu a Mix Fiscal, empresa considerada autoridade em Inteligência Tributária para o varejo, especializada em supermercados, e que hoje atende 3.500 clientes em todo o território nacional. É a única companhia em tributação com copyright nos Estados Unidos e patente requerida no Brasil.

Em entrevista ao Portal de Notícias da GS1 Brasil, o diretor executivo da Mix Fiscal, Fabrício Tonegutti, citou um exemplo do que pode acontecer na prática com essas companhias. “Imaginem uma empresa que fatura R$ 190 milhões e estava pagando aproximadamente 10% de impostos sobre vendas que não eram tributadas. Isso pode significar, em média, R$ 5 milhões por mês de impostos a mais. Esse exemplo é de uma grande empresa. Imagine o que acontece entre varejistas de menor porte? Se não houver um sistema em tempo real controlando essa realidade tão dinâmica, é muito difícil que erros não aconteçam”, adverte.

Além da legislação tributária mudar diariamente, outros erros relacionados ao tema são comuns em supermercados. “Por exemplo: a indústria, por vezes, ao invés de gerar um código de identificação para um novo produto, acaba usando o mesmo código de um item já existente, burlando o sistema. Ou, em outro exemplo, usa o mesmo código de barras do sabonete líquido para o sabonete em barras. Mas isso pode impactar diretamente na tributação”, alerta Tonegutti.

Nesse sentido, a Mix Fiscal oferece uma solução capaz de acessar os dados fiscais de todos os produtos cadastrados na loja. Desse modo, o varejista terá os parâmetros fiscais corretos e a atualização pode ser automatizada por uma rotina feita pelo software de retaguarda, e informadas ao gestor do estabelecimento.

“Percebemos que pequenas e médias empresas têm um desafio que parece simples, mas é muito difícil de conseguirem cumprir no dia a dia: manter o cadastro de produtos atualizado e de acordo com a legislação”, diz Tonegutti.

Outra vantagem do software da Mix Fiscal, além de ser acessível a pequenos e médios varejistas, é que ele está integrado ao sistema de dados da GS1 Brasil. “Fizemos uma integração com a entidade e, com ela, conseguimos uma descrição direto do fabricante, por meio dos códigos de barras, e conseguimos, inclusive, imagens dos produtos”, destaca o executivo.

Implementação facilitada

O varejista que contrata o software da Mix Fiscal não precisa realizar grandes mudanças na loja. No prazo de 30 dias, que pode se antecipar dependendo de cada loja, a empresa já consegue acessar sua realidade fiscal.

“Temos um período de boas-vindas, onde explicamos nosso modo particular de atender os clientes, que é completamente individualizado, e treinamos os colaboradores da loja responsáveis pela área. Depois de entendermos a realidade da loja em questão, integramos o nosso software com o sistema de gestão do varejista e cruzamos as informações. Temos mais de 32 milhões de produtos cadastrados na nossa base, então são poucos os itens de uma loja que não teremos no nosso sistema”, explica o executivo, acrescentando que o único trabalho do varejista será o de categorizar os produtos da loja, embora a própria Mix Fiscal possa dar sugestões de classificação mercadológica para os produtos.

Após a integração, o varejista consegue verificar o que está certo ou errado na gestão tributária e verificar as divergências.

Benefícios aos usuários da Mix Fiscal

mix fiscal benefícios

Uma das primeiras dúvidas que surgem é: ao contratar a Mix Fiscal, é possível que reduzir a carga tributária da empresa? Fabrício Tonegutti explica que não é essa a promessa, mas que diante do caos tributário do Brasil, é algo muito provável que aconteça.

“Por vezes, o varejista está tributando o que não devia e vice-versa. Cerca de 80% dos clientes acabam experimentando essa redução na tributação. Entretanto, existem situações de lojas em que poucos produtos estavam sendo tributados, então, é claro que, nestes casos, haverá um aumento na carga de impostos”, justifica.

A promessa da Mix Fiscal está no know how que o varejista passa a ter sobre o que ele vende, fazendo com que ele possa precificar o produto corretamente no ponto de venda. “

Muitos pequenos e médios varejistas têm pouquíssima percepção sobre o quanto o produto interfere na margem deles. Então, são diversos aqueles que compram por R$ 1,00 e decidem vender a R$ 1,50, sem fazer contas ou ter ideia dos impostos que incidem naquele item. Mas quando existe uma percepção sobre os tributos, ele passa a dar uma margem certa, mudando, inclusive, a satisfação do consumidor, que passa a ter preços menores praticados no PDV”, exemplifica, mostrando que todo o tema é trabalhado sempre de forma a descomplicar a tributação e tornar o assunto compreendido por qualquer gestor.

“Podemos enviar, pelo WhatsApp do proprietário da loja, o quanto ele deixou de gastar com itens tributados erroneamente. Também enviamos prévias de ICMS, Pis e Cofins, por exemplo, para que as compras possam ser realizadas com mais consciência”, pontua

Outra grande vantagem é a segurança, já que o varejista não precisa mais pensar em impostos. “A Mix Fiscal não vende só uma ferramenta. É uma consultoria de inteligência tributária. Então damos assessoria jurídica e financeira e, caso o cliente seja autuado por algum erro acontecido por nós, podemos dar toda a assistência, embora isso nunca tenha acontecido nesses 16 anos em que estamos no mercado”, finaliza a diretora de marketing da empresa, Carol Tonegutti.

Foto: iStock

Leia também

Planejamento financeiro: 6 KPIs para o balanço dos negócios

Tags