Escreva para pesquisar

5 motivos para as marcas priorizarem os dados primários

O engajamento digital do cliente é mais importante do que nunca e os dados primários das empresas podem ser fundamentais nesta empreitada. De fato, as marcas que investem nisso não apenas melhoram seu sucesso em campanhas de marketing, mas também seu desempenho comercial geral. Uma pesquisa recente da Twilio, plataforma de engajamento do cliente, apoiou essa afirmação, revelando que 92% das organizações que investiram no engajamento digital do cliente viram as receitas crescerem em média 90%.

Além disso, seis em cada 10 empresas relataram que o investimento no engajamento digital do cliente melhorou sua capacidade de atender às mudanças nas necessidades dos clientes.

Para maximizar seus investimentos e gerar retorno sobre o investimento (ROI), as marcas agora estão se voltando para dados primários ou dados coletados diretamente dos consumidores com seu consentimento.

5 razões para as marcas priorizarem os dados primários

dados primários

1. Os dados primários são mais precisos

Como os dados primários vêm diretamente dos consumidores, eles são mais precisos e refletem melhor a demanda atual. Isso, por sua vez, aumenta a capacidade da empresa de criar uma personalização mais significativa e relevante. Por fim, as marcas que usam seus próprios dados primários poderão ter uma imagem mais clara da jornada de um cliente em seus sites e outros pontos de contato.

2. Uma personalização mais forte levará a uma maior lealdade

Os consumidores de hoje estão mais atentos do que nunca, e sua demanda por experiências personalizadas em tempo real cresce a cada dia. De fato, a maioria (86%) dos consumidores diz que experiências personalizadas aumentam sua fidelidade às marcas, e as pessoas gastam em média 21% a mais em marcas que personalizam a jornada do cliente.

Com muita incerteza no clima macroeconômico, as empresas não podem se dar ao luxo de subestimar a importância dos dados primários para envolver os consumidores com experiências personalizadas, o que levará a relacionamentos de longo prazo mais fortes com seus públicos.

3. Eles abordarão questões de confiança do consumidor

Dados e desconfiança muitas vezes parecem andar de mãos dadas. No entanto, há potencial para escapar dessas águas turvas e não confiáveis por meio do uso de dados primários. Ao coletarem informações consensualmente, diretamente de seus clientes e serem mais transparentes sobre como planejam usar e armazenar esses dados, as marcas podem começar a reconstruir e aumentar a confiança.

4. Os consumidores estão exigindo uma transição mais rápida para um futuro sem cookies

Quase um terço (31%) dos consumidores sempre ou frequentemente rejeita cookies em sites, enquanto mais de dois terços (67%) preferem que as marcas usem apenas dados primários para personalizar suas experiências. Os consumidores desejam cada vez mais compartilhar dados em seus termos e não estão convencidos do valor para eles de serem rastreados na web. As empresas que se esforçam para atender a essa expectativa do consumidor provavelmente melhorarão o engajamento e o tempo gasto em suas plataformas.

5. A morte dos cookies de terceiros está se aproximando

Os cookies de terceiros são conhecidos há muito tempo por rastrear as sessões de navegação na internet de um site para outro. No entanto, como uma boa notícia para os consumidores, a Apple declarou o fim dos Identificadores para Anunciantes (IDFA) – o equivalente da empresa aos cookies no aplicativo – há mais de dois anos, e o Google também prometeu substituir o uso de cookies de terceiros em seu navegador Chrome até 2024. As marcas que se prepararem agora terão uma vantagem pioneira e alcançarão o maior ROI de marketing.

Com os dados primários também apresentando oportunidades claras de crescimento de negócios, o fim dos cookies de terceiros não deve ser o único motivo para as marcas fazerem uma mudança. Ao fazer essa transição, as empresas poderão personalizar melhor o envolvimento com os clientes e gerar maiores receitas, lealdade e ROI.

Em última análise, as marcas que possuem os melhores dados e sabem como usá-los entenderão melhor as mudanças nas necessidades dos clientes. Eles podem, então, fornecer as experiências que as pessoas esperam e desejam — e entregar resultados de negócios robustos.

*Texto adaptado do original publicado na Fortune.

Fotos: iStock

Leia também

Entrevista: qualidade de dados é fundamental no varejo

 

Tags