Escreva para pesquisar

NotCo: inteligência artificial na produção de alimentos

Reinventar a comida a partir do uso da tecnologia. Com essa proposta, nasceu a Not Company ou NotCo. A startup chilena produz alimentos à base de plantas utilizando inteligência artificial. Para isso, criou um algoritmo, chamado Giuseppe, capaz de cruzar dados de diferentes vegetais e criar receitas com a mesma textura, aroma, sabor e valor nutricional dos alimentos de origem animal (leite, ovos e carne).

“Nos próximos 30 anos a relação das pessoas com a comida será diferente. Precisamos mudar. Os alimentos da NotCo são feitos a base de plantas, mas tem o mesmo gosto, a mesma memória afetiva dos produtos que já conhecemos”, disse a head de operações no Brasil da The NotCo, Giuliana Vespa, durante o Summit Alimentos 2019, evento realizado pela GS1 Brasil, em setembro.

giuliana vespa head de operação no brasil da notco

Giuliana Vespa, da NotCo – Foto: Eliane Cunha

De acordo com Giuliana, rapidez e assertividade na criação dos produtos são as principais vantagens de usar a inteligência artificial. A empresa conta, ainda, com chefs para testar as receitas sugeridas pelo algoritmo. Com o tempo, Giuseppe evolui e gera novos conhecimentos, na medida em que novas informações são incorporadas ao banco de dados. Por isso, o uso dessa tecnologia permitirá à empresa descobrir novas fontes de alimentos.

A maionese NotMayo – feita com grão de bico, sem lactose, gluten, ovo, soja e livre de transgênicos – foi o primeiro produto lançado pela NotCo  e passou em teste cego ao lado de maioneses convencionais, segundo Giuliana. No Brasil, a empresa está estruturando sua operação para, em breve, lançar novos itens, como sorvete, leite e hambúrguer.

notmayou maionese plant basede da notco

Maionese feita a base de grão de bico – Foto: Divulgação

Revolução pela comida

Preocupação com meio ambiente, desmatamento, emissão de gases de efeito estufa, problemas de saúde decorrentes de uma alimentação inadequada. A NotCo pretende ajudar a diminuir esses problemas trocando a produção animal pela vegetal.

Os responsáveis pela NotCo uniram suas diferentes habilidades para começar essa revolução alimentar. São eles: Karim Pachara, doutor em ciência da computação, especialista em machine learning e ciência de dados, professor associado do Departamento de Ciências da Computação na PUC do Chile, e pesquisador associado da Universidade de Harvard; Matías Muchunick, empreendedor com pós-graduação nas Universidades da Califórnia, Berkeley e Harvard; e Pablo Zamora, doutor em biotecnologia vegetal, especialista em bioquímica e genética de plantas, e pesquisador associado da Universidade da Califórnia.

A NotCo já levantou US$ 33 milhões em duas rodadas de investimento, em 2017 e 2019. Os investidores são o fundo Bezos Expeditions (de Jeff Bezos, fundador da Amazon), the Craftory (que investe em negócios de bens de consumo com causa), Kaszek Ventures (que investe em empresas de tecnologia de alto impacto), a aceleradora americana IndieBio (focada em biotecnologia), e o fundo Maya Capital (liderado por Lara Lemann e Monica Saggioro).

Foto de abertura: iStock

 

Tags

Send this to a friend