Escreva para pesquisar

Padrões GS1 apoiam o setor de saúde no combate à Covid-19

Nesta pandemia causada pela Covid-19, o uso de padrões GS1 na área da saúde torna-se ainda mais estratégico e relevante. Os padrões globais GS1 apoiam a identificação, o controle e a rastreabilidade de medicamentos e dispositivos médicos, proporcionando visibilidade em toda a cadeia produtiva. Além disso, ajudam a identificar produtos falsificados, extraviados ou vencidos, aumentando o nível de segurança dos pacientes.

Uma ação conjunta de 19 países membro da GS1 na América Latina, incluindo o Brasil, lançou uma Proposta Pública para mostrar ao mercado como os padrões podem auxiliar na pandemia, oferecendo confiança, interoperabilidade e visibilidade.

“Nossa proposta é colaborar para que os produtos médicos falsificados, que hoje compõem 30% do mercado, percam espaço, e que o número de mortes por medicamentos falsos diminua. Esse é somente um exemplo do que podemos fazer porque vamos além”, afirma a CEO da GS1 Brasil, Virginia Vaamonde.

“Conectamos os elos da cadeia com padrões globais e abertos, do fabricante ao paciente, passando pelo centro de distribuição, farmácia, hospital ou varejista. Com os padrões GS1, profissionais da saúde sabem a origem dos medicamentos e pacientes têm a visibilidade e a confiança no tratamento que precisam em situações como a da Covid-19”, acrescenta.

Confira os padrões GS1 que auxiliam o setor de saúde.

padrões gs1 na cadeia de saude

Produtos de saúde: GTIN (Número Global de Item Comercial) – identificação de medicamentos e produtos para saúde.

Pacientes e profissionais da saúde: GSRN (Número Global da Relação de Serviço) – pacientes (pulseiras) e profissionais da saúde.

Localizações físicas e ativos: GLN (Número Global de Localização) para localizações físicas, como hospitais, clínicas, etc; e GIAI (Identificação Global de Ativos Fixos) para ativos fixos como equipamentos de uso profissional na saúde (respiradores, etc).

Dispositivos médicos: nível de risco III (testes rápidos de Covid-19 e Reativos PCR), nível de risco II (luvas de procedimento) e nível de risco I (máscaras, toucas e aventais cirúrgicos):

  • GTIN: embalagens primárias e secundárias;
  • GS1-128: unidade de despacho;
  • SSCC: unidade logística.

Benefícios dos padrões GS1

  • Garantia da identificação única e global;
  • Estruturas de dados predefinidas;
  • Hospitais automatizados já utilizam padrões GS1;
  • Possibilidade de compartilhar dados em situação de pandemia;
  • Podem ser adotados independentemente do software ou hardware utilizado pela empresa;
  • Alinhados com soluções tecnológicas e aderentes a qualquer processo operacional.

Assista ao vídeo e veja a importância do uso de padrões GS1 no setor de saúde

Foto: iStock

Tags