Escreva para pesquisar

Pesquisa: 35% das empresas não possuem processos para inovar

Já faz algum tempo que a inovação se tornou uma verdadeira obsessão para as empresas. Entendendo que esse é o único caminho para a sobrevivência em um contexto de complexas e profundas transformações, a maioria parece já ter se atentado a essa necessidade.

Apesar disso, grande parte delas mal consegue engatinhar no tema.

Prova disso é uma pesquisa realizada pela PALAS, consultoria pioneira na ISO de inovação, a 56.002, que coletou informações sobre inovação em 60 empresas, sendo quase a metade de grande porte.

O estudo revelou que 55% das entrevistadas já dispõem de um departamento de inovação, contra 15% que têm apenas um comitê de inovação e 30% que não têm nada.

A pesquisa mostrou ainda que 43% afirmam não ter objetivos claros para suas iniciativas de inovação.

Processos para inovar

Quando questionadas sobre suas infraestruturas para inovar, a grande maioria informou não estar adequada: 35% não possuem processos para inovar, enquanto 41% dizem ter processos desintegrados.

Entre as empresas que já estão mais avançadas nesse quesito, 43% disseram ter um laboratório de inovação, 33% têm parcerias com startups e 25% têm convênios com universidades, a fim de desenvolver a inovação aberta.

“A falta de uma governança para a inovação tem feito com que a maioria das empresas até saibam onde querem chegar, mas não façam a menor ideia do que fazer para alcançar seus objetivos. É como se escolhêssemos um destino, mas não traçássemos a rota que nos levará até ele”, alerta o sócio-fundador da PALAS, Alexandre Pierro,

O fato fica ainda mais evidente quando identifica-se que apenas 13% das empresas dispõem de um programa de formação em inovação, que teria como propósito a criação de uma cultura para o tema.

Cerca de 15% dizem nunca ter feito absolutamente nada para disseminar conhecimento sobre inovação e, 50% dizem já ter feito algo esporádico, sem uma estrutura e proposta bem definida.

Para piorar, em muitas empresas esse despreparo é visto desde os cargos mais altos. Mais de 46% afirmam que nem os próprios líderes passaram por treinamentos de inovação.

Investimentos na área

Se a empresa não investe em conhecimento, todo o processo de inovação fica prejudicado. E, a consequência aparece claramente na falta de geração de novas ideias para inovar.

Tanto é que mais de 38% das empresas afirmam não ter um funil de inovação; contra apenas 26% afirmam ter – mas de forma parcial, sem etapas bem definidas.

Muito mais do que a falta de uma estratégia de inovação e o investimento em um setor exclusivamente dedicado a isso, a falta de recursos financeiros é outro problema recorrente que, infelizmente, causa grandes impactos nesse avanço.

Mais de 35% das empresas entrevistadas afirmam não ter budget para inovar. Outros 43% dizem que tem, mas não há uma definição clara sobre a quantia disponível.

Para tentar driblar esses obstáculos e, de alguma forma, dar os primeiros passos para inovar, a grande maioria das empresas usa pesquisas de mercado (25%) e experiências passadas (17%) como forma de antever tendências. Contudo, essa não é uma boa estratégia, altamente passível de falhas.

A pesquisa colheu informações de 60 empresas dos setores de construção civil, bancos, energia, saúde, transporte, logística e telecomunicação. Mais de 61% são empresas da área de serviços e 33% da indústria. Mais de 60% dos respondentes ocupam cargos estratégicos, como gerentes, diretores e CEOs.

Foto: iStock

Leia também

Empresas familiares aumentaram os investimentos em inovação

Tags

Send this to a friend