Escreva para pesquisar

Pesquisa revela aumento no número de mulheres empreendedoras

Pesquisa realizada com 9 mil mulheres em 15 países, incluindo 500 brasileiras, constatou que, globalmente, a maioria (72%) aspira abrir seus próprios negócios, sendo que 50% delas ainda não empreendem e 22% já têm um negócio, mas gostariam de abrir outro. Entre as brasileiras, o número de mulheres que sonham em se tornar empreendedoras é ainda maior, 73%.

Encomendado pela Herbalife Nutrition e conduzido pela OnePoll, o levantamento realizado entre 18 de março e 7 de abril de 2020 analisou os desafios que as mulheres enfrentam no local de trabalho e os objetivos delas em abrir seus próprios negócios.

De acordo com os dados, 63% das brasileiras têm como principal motivação para empreender a vontade de se tornar sua própria chefe. Outro fator motivador para 46% das entrevistadas é a possibilidade de ter mais flexibilidade em seu trabalho, já que 51% delas dizem ter adiado a ideia de ter filhos porque pensaram que isso afetaria negativamente a carreira.

Segundo o estudo, o dinheiro é apontado como um fator comum aos três principais desafios enfrentados por quem deseja iniciar um negócio. Ganhar dinheiro suficiente para compensar custos é algo que preocupa mais de 54% das brasileiras. Já 47% das entrevistadas se preocupam em ter orçamento suficiente para crescer, enquanto 36% pensam em como financiar seus negócios. No que diz respeito às áreas de interesse, 25% desejam se dedicar ao ramo de alimentos e bebidas, 23% ao da beleza e 14% à moda.

Preocupações ao empreender

A pesquisa revelou ainda que 70% das brasileiras gostariam de iniciar um negócio devido ao tratamento injusto em experiências anteriores em empresas. De acordo com o levantamento, há uma percepção de diferença de tratamento entre os gêneros: 37% das entrevistadas afirmaram acreditar não existir uma equiparação salarial com os homens e 34%, ter menos oportunidades de promoção. Além disso, 73% das brasileiras acreditam que as mulheres precisam trabalhar mais para ter as mesmas oportunidades que os homens e 79% estão comprometidas em ajudar a quebrar essa barreira empreendendo.

Mas isso não significa que elas esperam que o empreendedorismo seja tranquilo: 35% das mulheres que planejam empreender estão “muito preocupadas” com o fracasso de seus negócios atuais ou futuros nos próximos cinco anos.

Acompanhe mais alguns resultados da pesquisa sobre empreendedorismo feminino.

Principais áreas de interesse das mulheres:

  • Comida (comida, café / restaurante): 25%
  • Beleza (cosméticos, salão de beleza): 23%
  • Moda (ateliê, varejo): 14%
  • Outros: 11%
  • Não sabem: 10%
  • Treinamento (seminários e treinamentos): 7%
  • Serviços médicos: 4%
  • Esportes (equipamentos esportivos, nutrição esportiva, academia de ginástica): 3%

Principais motivações para empreender

  • Tornar-se seu próprio chefe: 63%
  • Ter mais flexibilidade no meu trabalho: 46%
  • Seguir sua paixão: 42%
  • Apoiar a família: 34%
  • Mudar de carreira: 33%
  • Resolver um problema / melhorar o mundo: 20%
  • Ser infeliz no trabalho:  18%
  • Ter sido demitida: 7%
  • Nenhuma das acima: 2%

Principais entraves para quem deseja empreender

  • O custo inicial para abrir um negócio: 50%
  • Falta de financiamento / conhecimento do mercado: 39%
  • Fracasso: 24%
  • Falta de rentabilidade: 23%
  • Falta de ambiente favorável: 20%
  • Não ter certeza sobre quais as etapas a serem seguidas: 19%
  • Barreiras legais e regulatórias: 18%
  • Insegurança: 18%
  • Pressão: 17%
  • Falta de tempo: 17%
  • Educação e treinamento limitados: 16%
  • Pressão familiar: 9%
  • Normas sociais ou culturais: 6%
  • Muita responsabilidade: 4%
  • Nenhuma das acima: 4%

Foto: Getty Images

Tags