Escreva para pesquisar

Pesquisa: uso de Pix aumenta mais de 300%

Lançado pelo Banco Central há pouco mais de três anos, o Pix conquistou o Brasil e já atingiu a marca de 152 milhões de usuários cadastrados, o que significa que 7 a cada 10 brasileiros utilizam ou ao menos tem interesse em utilizar essa inovação.

Para entender melhor esse mudança de hábito dos consumidores, que até então preferiam o cartão de crédito ou débito para o pagamento de suas compras, a fornecedora de soluções de vendas e tecnologia Web Automação analisou os dados de mais de 10 mil empresas em todo o País, comprovando a escalada do Pix especialmente nos últimos 12 meses.

Segundo o levantamento, foram transacionados mais de R$ 441 milhões em Pix nos últimos dois anos, sendo R$ 81.757.925,00 em 2022 e R$ 359.751.066,00 em 2023, representando um crescimento impressionante de quase 340% no valor total.

Setores que mais usaram o Pix

Já quanto aos setores em que os consumidores mais utilizaram Pix, a análise da Web Automação aponta que Varejo e Food Service estão na frente. O Varejo registrou mais de R$ 14 milhões pagos com esse método em 2022, saltando para R$ 68 milhões em 2023, o que equivale a um aumento de cerca de 385%. O setor de Food Service testemunhou um aumento parecido, com mais de R$ 50 milhões em transações Pix em 2022 e subindo para R$ 219 milhões em 2023, um incremento de 338%.

Já os métodos tradicionais de pagamento apresentaram crescimento bem inferior. No cartão de crédito, por exemplo, foram transacionados R$ 500 mil em 2022 e R$ 1.4 bilhão em 2023, um crescimento de 180%. No débito, os números foram ainda mais modestos, partindo de R$ 460 milhões em 2022 para R$ 1.2 bilhão no ano seguinte, ou 161% a mais.

“Esses dados refletem não apenas uma mudança nas preferências de pagamento, mas também a rápida adoção e confiança dos consumidores e empresas no Pix como uma solução eficaz e conveniente para suas necessidades financeiras”, afirma Araquen Pagotto, CEO da Web Automação.

Foto: iStock

Leia também

Novidades em meios de pagamento em 2024, o que esperar?

Tags