Escreva para pesquisar

QR CODE PADRÃO GS1: o que é e por que implementar?

O QR CODE PADRÃO GS1, como o próprio nome já diz, é um código bidimensional, conhecido popularmente como QR Code, que possui a capacidade de armazenar informações como data de validade, lote, número de série, data de produção, data de embalagem, entre outros dados.

Acompanhe, a seguir, as vantagens para o varejo, indústria e consumidores, e entenda como implementar e de que forma essa solução pode fazer diferença nos seus negócios.

Quais as vantagens do QR CODE PADRÃO GS1 para toda a cadeia de suprimentos?

Para a indústria, o QR CODE PADRÃO GS1 funciona como uma embalagem estendida, possibilitando a inserção de dados adicionais e variáveis, ações de prevenção de perdas, recall, logística reversa, economia circular, sustentabilidade, campanhas promocionais e muito mais.

Mas não é só a indústria que se beneficia. O varejo é igualmente beneficiado, facilitando o controle de estoque, garantindo segurança na hora da compra, trazendo agilidade de leitura e também a prevenção de perdas, principalmente em produtos perecíveis.

E as vantagens não param por aí! O QR CODE PADRÃO GS1 traz outros benefícios que envolvem toda a cadeia de suprimentos, como bloqueio da venda de produtos vencidos ou recolhidos, gerando mais segurança no controle; melhora na eficiência e agilidade no ponto de venda (PDV); melhor gestão de estoque; mais engajamento do consumidor; mais acesso a informações adicionais; possibilidade de habilitação em iniciativas de rastreabilidade; e integração em ações de sustentabilidade.

Quais as vantagens do QR CODE PADRÃO GS1  para o consumidor final?

Por meio do QR CODE PADRÃO GS1, os produtos oferecem muito mais informações, que poderão ser automaticamente inseridas no sistema de gestão, aumentando a produtividade das empresas e melhor gerenciamento dos processos.

Este padrão pode incluir uma URL com vídeos, receitas possíveis com aquele item, incentivos para fidelização, downloads relacionados ao produto ou à marca, entre outras informações.

Outra vantagem está na experiência de compras que é aprimorada, ao passo em que eles podem escanear o código e serem direcionados para mais informações do produto de forma inteligente, acessando a uma variedade de conteúdos e serviços.

Quais as diferenças entre o Código de Barras e o QR CODE PADRÃO GS1?

O Código de Barras, também conhecido pelo Código Linear, completou 50 anos em 2023 e se caracteriza pela representação gráfica, em barras claras e escuras, das combinações binárias utilizadas pelo computador. Decodificadas por leitura óptica, essas barras informam os números arábicos ou as letras que constituem o Código de Barras.

Ao longo dessas cinco décadas, o GTIN, Código de Barras desenvolvido e controlado pela GS1, se tornou praticamente um sinônimo no mercado para essa solução. Conhecido anteriormente por EAN, eles são atribuídos para qualquer item (produto ou serviço) que pode ser precificado, pedido ou faturado em qualquer ponto da cadeia de suprimentos, abrangendo desde matérias-primas até artigos acabados.

Já o QR CODE PADRÃO GS1 é um Código Bidimensional, tecnicamente, utiliza ambas as dimensões, horizontal e vertical, para codificar dados em uma pequena área. Eles são constituídos por espaços escuros e claros em uma grade, como um tabuleiro de xadrez. A solução atualiza o Código de Barras e tem como principal benefício a possibilidade de codificar muito mais dados.

O QR CODE PADRÃO GS1l pode conter detalhes, como o lote e o número de série de um item, que são fundamentais para o setor da saúde, bem como as datas de validade, informação essencial para o rastreamento, por exemplo, de alimentos frescos. Esta codificação também pode alertar o varejista sobre a data de validade quando digitalizado no checkout, e o sistema poderá impedir a compra.

Quais os principais passos de implementação para a indústria?

O primeiro passo é atualizar o software e/ou adquirir equipamentos que farão a impressão e leitura destes novos códigos, preparando-os para receber uma quantidade maior de dados. Dessa forma, será possível aprimorar as informações para uma melhor gestão da marca e ainda atender às necessidades e exigências de cada setor.

Caso uma mesma indústria produza um mix variado de produtos, a recomendação é a de escolher um produto modelo para testar os processos de implementação.

O segundo passo é fazer um estudo de design do produto para adequar o espaço para o novo código e reorganizar as informações. Lembrando que, em boa parte dos casos, o primeiro momento envolverá dois códigos (Código de Barras e o QR CODE PADRÃO GS1) presentes nas embalagens.

Quais os principais passos de implementação para o varejo?

Para varejistas como primeiro passo, é necessário mapear os softwares e hardwares que utilizam em sua loja. É recomendado que seja escolhido uma loja para realização de piloto para implementação e leitura do QR CODE PADRÃO GS1.

O segundo passo é conversar com os provedores de solução para preparar e atualizar softwares e hardwares para que o sistema atual possa ler e interpretar as informações captadas durante o processo.

O terceiro passo caso o varejo não possua softwares e hardwares compatíveis em imprimir, ler e tratar as informações contidas no QR CODE PADRÃO GS1 adquirir novos equipamento.

Deve-se avaliar em quais circunstâncias o QR CODE PADRÃO GS1 são gerados e/ou impressos. A sugestão é começar por produtos processados em loja e/ou produtos de marca própria.

Onde obter mais informações sobre o QR CODE PADRÃO GS1?

Para mais informações sobre estes e outros padrões desenvolvidos pela GS1 Brasil, acesse: www.gs1br.org.

Foto: iStock

Leia também

O que esperar para o código de barras no futuro?

 

Tags