Escreva para pesquisar

A automação financeira já é uma realidade entre a população, que cada vez mais usa aplicativos para fazer operações bancárias e outras transações digitais. Essa agilidade proporcionada pela tecnologia cresce também nos departamentos financeiros das empresas. Com esses recursos, os ganhos são diversos, permitindo que o capital humano possa se dedicar completamente para a análise de resultados.

A automação traz mais agilidade e facilidade para rotinas costumeiramente burocráticas da área financeira, além de assertividade a processos passíveis de erros. “Evita-se, por exemplo, o pagamento de guias em duplicidade ou de transferências indevidas, além de  reduzir custos. Temos cases de economia operacional de 66%, além de ganhos em tempo, o que possibilita dar foco maior para os desafios estratégicos para área”, sinaliza Yoshimiti Matsusaki, CEO da Finnet, empresa especializada em automação e gestão financeira.

Outro grande ganho da automação é a possibilidade de identificar fraudes. Segundo Matsusaki, isso é possível ao correlacionar padrões de comportamento sistêmico por meio de volumetria (quantidade de dados que o cliente consegue mandar para a empresa), configuração e correlação biométrica (as formas comportamentais do indivíduo que possibilitam gerar perfis e, a parti daí, automatizar/criar interfaces de inteligência artificial para lidar com os padrões criados).

Ampla gama de soluções

Aliás, além destas, outras soluções podem ser implementadas na automação financeira, a exemplo de plataformas para integração entre sistemas, como ERP (Enterprise Resource Planning, em português, Sistema Integrado de Gestão Empresarial),  CRM (Customer Relationship Management, em português, Gestão de Relacionamento com o Cliente) e Billing (sistema automático de cobrança de faturas), por exemplo. “A Finnet também está trabalhando forte com Big Data em cloud para que todo esse leque de dados e informações possam gerir receitas e savings”, sintetiza Matsusaki.

Muitas ações rotineiras e/ou gestão de configurações também passam a ser automatizadas com a Inteligência Artificial (IA). “Passada a fase de aprendizado ou captura de informações, os sistemas de back end passam a ter autonomia em algumas decisões sistêmicas e de regra de negócio, para facilitar o nosso dia a dia e reduzir erros operacionais”, mostra o executivo da Finnet.

A IA também pode ser usada para a segurança do cliente. “Quando um pagamento de um consumidor foge do perfil de compra dele ou da região em que costuma comprar, também pode-se ter uma inteligência artificial por trás decidindo se autoriza ou não aquela transação”, exemplifica Marco Zanini, CEO da DINAMO Networks, empresa especializada em segurança para identidade digital.

Passos importantes na hora de implementar a automação financeira

ANALISE AS NECESSIDADES DA EMPRESA

Mapeie as demandas e os processos a serem automatizados, buscando soluções no mercado que atendam não só as necessidades, mas que otimizem as rotinas e mantenham o olhar analítico para os resultados.

ESCOLHA PARCEIROS IDÔNEOS

O ideal é sempre buscar empresas ligadas às principais instituições financeiras, que passam por auditorias recorrentes e que têm todas as certificações para atuar neste mercado. As instituições devem, ainda, oferecer soluções capazes de dar alertas rapidamente em casos de fraudes.

TENHA CUIDADO COM A BUROCRACIA

De modo geral, quanto mais seguro é um sistema financeiro, mais burocrática a operação se torna para o usuário. Mas, hoje, as pessoas querem rapidez e facilidade. Portanto, a equação precisa ser cuidadosa e é preciso ter em mente o impacto ao cliente.

ESCOLHA COM CAUTELA OS COLABORADORES COM ACESSO

Não é recomendado que o funcionário do departamento financeiro se identifique com nome e senha para acessar o sistema, porque esses dados podem ser passados a um colega de trabalho num período de férias, por exemplo. Pessoas que trabalham na área precisam de uma autenticação mais sofisticada, como certificado digital, token de acesso ou biometria.

GARANTA A RASTREABILIDADE DE OPERAÇÃO

A empresa precisa se certificar de que os processos feitos na área financeira devem ser registrados no sistema com histórico de uso, transferências, pagamentos, usuários, entre outras informações. 

ARMAZENE AS INFORMAÇÕES DE FORMA SEGURA

Não é viável deixar as informações financeiras de uma empresa no notebook de um colaborador. É fundamental utilizar um repositor seguro, em locais de difícil acesso e garantir que os dados sejam criptografados. A criptografia permite que mesmo que alguém consiga vazar as informações, elas não poderão ser lidas.

Fontes: Yoshimiti Matsusaki, CEO da Finnet; e Marco Zanini, CEO da Dinamo Networks.

Tags