Escreva para pesquisar

Em um mundo cada vez mais consciente sobre a importância da sustentabilidade e da preservação ambiental, o agronegócio brasileiro enfrenta o desafio de conciliar produtividade com responsabilidade socioambiental e implementar a rastreabilidade.

Esta transformação é essencial para garantir um futuro próspero e sustentável para o setor.

Nesta entrevista exclusiva concedida ao Portal de Notícias da GS1 Brasil, representantes da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, Laura Lamonica, Coordenadora Executiva, e Carolle Alarcon, Coordenadora de Relações Institucionais, compartilham suas visões sobre os desafios, oportunidades e avanços na busca por um futuro mais sustentável e rastreável no setor. Juntas, elas exploram como a tecnologia, a governança e a colaboração podem impulsionar a inovação e a transparência na agricultura brasileira, trazendo benefícios para produtores, consumidores e o meio ambiente. Confira!

Laura Lamonica da Coalizão Brasil. Crédito: Clóvis Fabiano

Conte um pouco da história da Coalizão. Quando a entidade nasceu e quais são os seus propósitos?

Laura: A Coalizão Brasil nasceu em 2015, com o objetivo de articular e promover ações para a construção de um novo modelo de desenvolvimento sustentável, buscando conciliar a produção agropecuária com a conservação das florestas e a mitigação das mudanças climáticas. A entidade reúne mais de 350 membros, incluindo empresas, organizações da sociedade civil e associações setoriais.

Quem faz parte da entidade?

Laura: A Coalizão é composta por uma ampla gama de membros, incluindo representantes de empresas, bancos, organizações da sociedade civil, associações setoriais e acadêmicos. Todos compartilham o compromisso de trabalhar juntos em prol da sustentabilidade e do desenvolvimento sustentável no Brasil.

Quais as agendas prioritárias?

Laura: As agendas prioritárias da Coalizão incluem a promoção da agricultura de baixa emissão de carbono, o combate ao desmatamento, o estímulo à restauração e reflorestamento, a adoção de práticas agrícolas sustentáveis e a implementação de políticas públicas eficientes para a gestão do uso da terra e do clima.

Quais as principais conquistas da Coalizão desde a sua fundação?

Laura: A Coalizão tem desempenhado um papel fundamental na articulação de políticas públicas e iniciativas do setor privado voltadas à sustentabilidade e ao combate às mudanças climáticas, a partir da construção de convergência entre os diferentes setores. Entre as principais conquistas, destacam-se a influência na formulação da Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais (PNPSA), a promoção do debate sobre a precificação de carbono e a contribuição para a definição das metas relacionadas ao uso da terra na NDC brasileira.

O que é uma prática de agricultura considerada sustentável?

Laura: Uma prática de agricultura sustentável busca conciliar a produção com a conservação dos recursos naturais e da biodiversidade. Isso envolve a adoção de técnicas como o plantio direto, a recuperação de áreas degradadas, o cumprimento do Código Florestal e ferramentas de rastreabilidade e transparência.

Qual caminho o Brasil deve seguir para frear as mudanças climáticas na visão da Coalizão?

Laura: O Brasil precisa adotar uma série de medidas integradas, que incluam o combate ao desmatamento ilegal, a promoção da agricultura de baixa emissão de carbono, a restauração de paisagens, a implementação de políticas públicas eficientes – com incentivos e assistência técnica – e a colaboração entre setor público, privado e sociedade civil. Além disso, é fundamental investir em tecnologia e inovação para aprimorar os processos de produção e rastreabilidade.

Quais serão os principais desafios para 2023 e apostas da entidade?

Laura: Os principais desafios para 2023 incluem a coordenação, priorização e consolidação de políticas públicas que incentivem a adoção de práticas sustentáveis, a aceleração do combate ao desmatamento ilegal, a promoção da restauração e da bioeconomia e a integração de tecnologias que facilitem a rastreabilidade das cadeias produtivas. A Coalizão aposta na articulação e cooperação entre diferentes atores para alcançar esses objetivos.

Como a rastreabilidade tem ajudado nas boas práticas da agricultura e proteção das florestas? E qual a relevância do tema rastreabilidade para a organização?

Carolle Alarcon da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura. Crédito: divulgação

Carolle: A rastreabilidade é fundamental para garantir a transparência e a responsabilidade nas cadeias produtivas. Ela permite identificar a origem dos produtos e assegurar que sejam provenientes de áreas livres de desmatamento e com práticas agrícolas sustentáveis. Para a Coalizão, a rastreabilidade é uma ferramenta chave para promover a sustentabilidade e o combate às mudanças climáticas.

Quais os desafios e barreiras percebidos pela organização referente à pauta da rastreabilidade?

Carolle: A Coalizão identifica diversos desafios na implementação da rastreabilidade, como a necessidade de mudanças culturais e de gestão no setor produtivo, a articulação entre diferentes elos das cadeias, a viabilização econômica e financeira de projetos de rastreabilidade, em especial para o pequenos produtores, a regulamentação de normas compreensivas para todos os setores em torno de uma plataforma publico-privado de rastreabilidade e transparência que prepara o mercado doméstico para a crescente pressão dos mercados externos e a incorporação de tecnologias e sistemas de gestão informatizado e eficazes.

Quais são as cadeias produtivas consideradas mais críticas? E por quê?

Carolle: As cadeias produtivas mais críticas são aquelas com maior impacto ambiental e social, como a carne bovina e a soja, mas também outras como o café e o cacau. Essas cadeias apresentam desafios relacionados ao desmatamento ilegal, tornando-se prioridades para a promoção da sustentabilidade e rastreabilidade. A carne em especial, é o setor mais avançado devido aos controles já aplicados de sanidade animal e tem o potencial de liderar o setor agropecuária nessa transição.

Apoio à Sustentabilidade: A GS1 como aliada na rastreabilidade

A sustentabilidade e a rastreabilidade são fundamentais para garantir um futuro mais responsável e ético na cadeia de produção. A GS1 está comprometida em apoiar a transparência e a inovação nesse sentido. Se você deseja saber mais sobre como a GS1 pode ajudá-lo a implementar soluções eficazes de rastreabilidade e contribuir para um futuro mais sustentável, entre em contato pelo e-mail sustentabilidade@gs1br.org. Juntos, podemos fazer a diferença e criar um ambiente de negócios mais consciente e sustentável!

Fotos: iStock

Leia também

Rastreabilidade: peça-chave para a pecuária mais sustentável

 

Tags

Send this to a friend