Escreva para pesquisar

Solução de gestão logística da MHA Sistemas apoia o mercado

O processo logístico é estratégico para as empresas e, cada vez mais, demanda tecnologia para atender às demandas da transformação digital e às novas necessidades dos consumidores. É nesse contexto que a MHA Sistemas atua há 20 anos de mercado brasileiro. A companhia desenvolveu uma solução tecnológica com foco na logística e rastreabilidade de produtos que está em constante evolução para gerar operações mais inteligentes e eficientes aos negócios.

A plataforma de gestão logística ArMHAzena é um WMS (Warehouse Management System ou sistema de gerenciamento de armazém), que, desde 2006, opera em versão 100% web, na nuvem, o que facilita a implementação e utilização, além de reduzir custos de projeto e manutenção.

O WMS é modular e foi desenhado para atender qualquer operação da cadeia logística que tenha necessidade de gestão da informação e controle de itens, que pode ser feito por códigos de barras ou RFID. O ArMHAzena possui diversas funcionalidades e possibilita administrar vários centros de distribuição remotamente pela web ao mesmo tempo. Disponível em três idiomas (português, inglês e espanhol), a solução tem flexibilidade de implementação, podendo ser instalada em um servidor, hospedado dentro de um datacenter ou em área remota.

“O nosso produto está classificado como WMS, mas no decorrer dos anos entendemos que não somente o gerenciamento do estoque em si era importante, mas também a parte da cadeia de suprimentos, ou seja, poder gerenciar o estoque em poder de terceiros, o estoque do fornecedor ou do cliente final, abranger a cadeia de coleta e entrega, engenharia reversa, enfim, fazer a rastreabilidade como um todo. O nosso produto foi abraçando todo o conceito de cadeia logística”, explicou o CEO DA MHA, Marcio Morari à reportagem do Portal de Notícias da GS1 Brasil.

Atualmente, a ferramenta da MHA é utilizada na gestão de cerca de 1.200 sites nos setores de varejo, atacado, saúde, indústrias, serviços, trading, agronegócio, petróleo e gás e operadores logísticos. “Cada empresa possui suas particularidades no processo de logística. Nós conseguimos atender cada uma apenas configurando a nossa plataforma”.

Estrutura consolidada no mercado

Com sede na capital paulista, a MHA possui também uma unidade em Campinas (SP) e conta com uma equipe de cerca de 80 colaboradores. A empresa atua em 23 estados e em mais quatro países.

Desde a sua fundação, a MHA é uma empresa voltada a projetos e cresce 30% ao ano nesse formato de atuação, segundo Morari. “Trabalhamos com um viés de parceria. Fazemos sempre uma análise sobre como a empresa está preparada para receber determinada tecnologia e como pode implementá-la para conseguir extrair benefícios”, diz Morari.

No Centro de Inovação e Tecnologia (CIT), da GS1 Brasil, é possível conferir uma demonstração do funcionamento da solução ArMHAzena. “A GS1 tem um fator muito importante no mercado global que é a padronização. Temos uma parceria com a GS1 porque entendemos que o mercado padronizado, com codificação e rastreabilidade, é muito mais eficiente. E no caso da nossa plataforma não é diferente, sem um padrão não conseguimos atuar. Para se ter uma ideia, 60% de um WMS é cadastro de produto e 40% é regra de negócio. Se você não tiver um cadastro bem feito e padronizado, não consegue colocar a tecnologia para funcionar”, ressalta o executivo.

Inovação no DNA da empresa

O segmento de logística é um dos mais dinâmicos do mercado, pois precisa se adaptar rapidamente às necessidades de consumo. Sempre apoiada em estudos globais, a MHA acompanha tanto inovações logísticas quanto tecnológicas para deixar sua plataforma cada vez mais robusta.

Nos últimos cinco anos, a companhia vem observando de perto algumas tendências, que já estão acontecendo e devem crescer futuramente, a exemplo do uso de automação robótica, Inteligência Artificial (IA) e câmeras para gerenciamento de posições de estoque e gôndolas de supermercados.

“Estamos testando esse tipo de câmeras no nosso laboratório. A IA da câmera vai conseguir fazer cálculo de cubagem e interpretar os movimentos da pessoa que está pegando o produto”, exemplifica o CEO.

Ele pondera que é preciso sempre adaptar essas novidades dentro da realidade do mercado brasileiro. “Procuramos implementar uma solução mais básica num primeiro momento, para que a empresa entenda e estabeleça a ferramenta, e, num segundo momento, faça mais investimentos”.

Outro movimento que a companhia está de olho, desde 2014, é a mudança, cada vez mais veloz, da maneira como as pessoas e empresas consomem produtos e serviços, preferindo o aluguel à compra. Por isso, a empresa começou a fazer a implementação do arMHAzena também na modalidade SAAS (Software as a Service), com aluguel em plataforma cloud.

Assista à entrevista com o CEO da MHA, Marcio Morari

Aprendizado contínuo

Nesta pandemia da Covid-19, que criou a necessidade de isolamento social e impulsionou o trabalho home office, a solução da MHA já estava preparada para atender essa necessidade inesperada das empresas que já eram clientes.

“Muitos clientes nos agradeceram por termos, há alguns anos, ter indicado colocar a ferramenta num datacenter, o que possibilita usá-la de forma remota. Foi um ponto muito positivo saber que a plataforma fez a diferença numa situação de ruptura de mercado e de processos”, diz Morari.

Nas operações de clientes do setor de varejo, que chegaram a ter um aumento de 30% por mês no giro de produtos, o arMHAzena também deu suporte neste momento crítico. “A nossa plataforma tem escalabilidade de crescimento que possibilita quadruplicar em um mês a operação sem precisar fazer nada no sistema. Você pode operar 2 mil pedidos hoje e amanhã 10 mil pedidos com a mesma equipe”.

Apesar da crise, novos projetos têm surgido, demonstrando a corrida do mercado rumo à transformação digital. “As empresas que não investiram em tecnologia, desengavetaram seus projetos na pandemia. Já temos agenda de implementação da nossa ferramenta até março de 2021. Foi um boom inesperado e tivemos de aprender a gerenciar isso para atender os clientes da melhor forma”, comenta Morari.

Assim, a MHA segue com investimentos para agregar cada vez mais inteligência à sua solução, aproveitando as oportunidades de aprendizado. “Quando a gente fala de sistemas de logística e rastreabilidade, todo ano surge um novo conceito e precisamos nos preparar para atender as ondas de consumo. Tudo é muito dinâmico. Estamos sempre aprendendo”, comenta Morari. “Como fornecedor de tecnologia, o papel da MHA é orientar as empresas da melhor forma, em relação ao que elas podem ou não podem ter, onde conseguem chegar e quanto podem ter de retorno”, finaliza.

Foto: Getty Images

Tags