Escreva para pesquisar

Summit MPE: mais qualidade de dados nos pequenos negócios

Estima-se que R$ 1 bilhão são perdidos na cadeia de abastecimento por erros em informações de produtos. Para reverter esse cenário, a solução passa por investir pesado na qualidade de dados de produtos e, assim, melhorar as vendas.

Esta foi a mensagem do head de marketing e sustentabilidade da GS1 Brasil, Frederico Bellini, em sua palestra no Summit MPE – Micro e Pequeno Empreendedor, promovido pela GS1 Brasil em 10 de agosto de 2019, em sua sede, em São Paulo (SP).

Com o tema “O bip que transforma os negócios. Como a GS1 pode ajudar?”, Bellini mostrou que o ‘bip’, o som emitido no momento da leitura do código de barras de um produto no ponto de venda, representa o início de todo o processo para qualificar os dados das mercadorias.

Isso porque o código de barras padrão GS1 é a solução que gera uma identidade única e inequívoca, uma espécie de RG do item. Ter um código de barras padrão global é o passaporte para as marcas entrarem no mercado – seja no comércio físico ou digital. Além disso, esta solução apoia a gestão, permite fazer controle de estoque e a rastreabilidade da mercadoria em toda a cadeia de suprimentos.

Informações qualificadas

A qualidade de dados não é apenas uma preocupação das empresas, mas também dos consumidores. Estudos realizados pela GS1 Brasil apontam para a importância do assunto: 75% dos consumidores acessam a internet para consultar informações sobre os produtos antes das compras.

“Na CES, uma das principais feiras de tecnologia do mundo, insights da Gfk e Google indicaram que 74% dos consumidores já abandonaram o carrinho de compras porque não sentiram confiança na hora da conversão, por considerando que as informações não eram qualificadas o suficiente”, disse Bellini.

Nesse sentido, ele sinalizou alguns pontos fundamentais que ajudam a melhorar a gestão e as vendas: ter identificação única do produto, mostrar foto do item, informar peso, dimensões e dados institucionais que ajudem na tomada de decisão.

A prática já mostra que essas ações geram bons resultados. Dados do Google Manufacturer Center indicam que a Bosch, por exemplo, aumentou as vendas em 4% só pelo fato de colocar todas as informações qualificadas e padronizadas dos produtos, com seus atributos e foto. “Informação vende e traz resultado. Basta aplicá-la de maneira qualificada e com identificação única”, destacou Bellini.

A fim de ajudar neste propósito, a GS1 Brasil criou o Cadastro Nacional de Produtos (CNP), plataforma online gratuita aos associados da entidade, e que possibilita ter uma base de informação consistente sobre os itens e compartilhar essas informações com o mercado. Atualmente, são mais de 40 milhões de produtos cadastrados no CNP.

Rastreabilidade

Ter código de barras e investir na qualidade de dados são boas práticas que andam juntas com a rastreabilidade, processo vital para os negócios no cenário atual.

Frederico Bellini finalizou a palestra com o case da cervejaria Irmãos Ferraro, empresa criada em 2012 que começou produzindo 15 litros de cerveja em uma panela e, atualmente, fabrica 200 mil litros, com distribuição em três Estados: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

A expansão da companhia teve uma dificuldade inicial, porque não havia controle sobre a rastreabilidade dos produtos e do estoque. Por meio de uma parceria com a GS1 Brasil, todos os rótulos da Irmãos Ferraro passaram a ser rastreados.

Desde então, a empresa faz o controle de estoque e sabe onde cada garrafa se encontra nos Estados em que atua. Com essa iniciativa e outros investimos, a Irmãos Ferraro planeja, agora, triplicar a produção.

Quer adquirir mais conhecimento para a expansão dos seus negócios? Acompanhe os próximos Summits setoriais da GS1 Brasil.

Foto: pdp Filmes

 

Tags