Escreva para pesquisar

Taxa de Retração Industrial cresce no País com destaque para MPEs

No mês de agosto, a Taxa de Retração Industrial, levantamento estatístico desenvolvido pela GS1 Brasil, registrou crescimento de 5,4% em relação ao mês anterior.

Isso indica que houve aumento no número de empresas que encerraram seu portfólio de produtos. Esta alta é ainda mais expressiva, quando o resultado é comparado com o mesmo mês do ano passado, apresentando um crescimento de 23,6% no indicador.

Quando o recorte se restringe apenas às MPEs, a Taxa de Retração em agosto, na comparação com o mês de julho, atingiu alta de 11,9%. Mas comparado com o mesmo mês de 2020, o aumento chegou a atingir 50,4%.

No acumulado dos últimos 12 meses, houve crescimento de 8,7% no encerramento de portfólio de produtos no Brasil.

taxa de retração industrial

Sobre a Taxa de Retração Industrial

A Taxa de Retração Industrial é um levantamento estatístico que gera informações úteis ao monitoramento e antecipação de tendências econômicas, constituindo-se em importante ferramenta para a tomada de decisões nos âmbitos público e privado: para análises econômicas realizadas no meio acadêmico, em consultorias e em organizações públicas.

Este indicador foi criado com base no número de empresas que encerram seu portfólio de produtos. Ele foi concebido com a finalidade de aferir e identificar tendências no encerramento de atividades empresariais no Brasil.

Devido sua abrangência e com o intuito de manter a confidencialidade e proteger a identidade das empresas, sua publicação ocorre por meio de um número índice, calculado com base média 2012 = 100.

São publicados os números Total Brasil e a abertura para Micro e Pequenas empresas (MPE). O indicador possui poder explicativo direto com significância estatística.

A série histórica da Taxa de Retração Industrial inicia-se em janeiro de 2013.

Foto: iStock

Leia também

Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial tem queda de 10%

Tags