Escreva para pesquisar

Transformação digital aumenta faturamento do varejo

A Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), em parceria com Oasis Lab Innovation Space, divulgou a segunda edição do estudo “Transformação Digital no Varejo Brasileiro”, com uma radiografia dos investimentos em transformação digital, automação e treinamento de funcionários que atuam nas empresas do varejo brasileiro, assim como ferramentas de inteligência artificial nos pontos de venda.

O estudo identificou que, ao fazer o investimento na transformação digital, o principal ganho dos varejistas entrevistados é o aumento do faturamento em vendas (92%). Para as empresas do varejo, os investimentos em ferramentas utilizadas para a contribuição na transformação digital nas lojas físicas se traduzem em redução dos custos gerais, além de ser um diferencial competitivo.

O investimento na transformação digital, segundo os varejistas entrevistados, é de 0,39%, em média, sobre o faturamento bruto.

A análise feita pela SBVC também mostra que 88% dos varejistas acreditam que líderes são co-criadores e trabalham em parceria com seus funcionários. “Para os varejistas e o mercado de consumo, o desenvolvimento e a intensificação de uma cultura de co-criação entre funcionários e líderes se torna ainda mais importante nesse momento de Covid-19, que, de alguma forma, impacta e movimenta o ecossistema”, assegura o fundador e CEO da OasisLab Innovation Space, Hélio Biagi.

Outro tema que ganha atenção especial dos varejistas é o trabalho remoto. O home office teve crescimento significativo, passando de 23%, em 2019, para 62% neste ano.

O estudo mostra, ainda, que as parcerias dos varejistas com startups estão em alta. Em 2019, 20% afirmaram que a esse tipo de ação seria utilizada nos próximos 12 meses, índice que subiu para 39%, em 2020.

“Sem dúvida são conclusões reveladoras e que sugerem ação imediata das empresas. Num momento em que mudança cultural e de comportamento estão vindo à tona com a crise do Covid-19. As empresas estão precisando ser muito ágeis, trabalhar em squads, times horizontais, atuar remotamente e usar tecnologia para vencer os desafios e continuar operando “, afirma o presidente da SBVC, Eduardo Terra.

Metodologia da pesquisa

Para a avaliação, as empresas ouvidas foram divididas por faturamento: 39% delas tinham faturamento até R$ 500 milhões; 12% com faturamento entre R$ 500 milhões e R$ 1 bilhão, e 50% com faturamento acima de R$ 1 bilhão.

As companhias representam os maiores players do mercado, de 10 diferentes segmentos do varejo, como moda, calçados e artigos esportivos, super, hiper, atacarejo e conveniência, lojas de departamento, artigos do lar e mercadorias em geral, drogarias e perfumarias, foodservice, livrarias e papelarias, eletromóveis, material de construção, óticas, joias, bolsas e acessórios e outros segmentos.

Foto: Getty Images

Tags

Send this to a friend