Escreva para pesquisar

Veja as formas para não errar na contabilidade do e-commerce

O varejo vive uma nova era com o crescimento do e-commerce. Nesse contexto, é cada vez mais importante entender aspectos que podem auxiliar na gestão e manutenção da plataforma, mantendo, assim, sua eficiência.

Diante deste desafio, o diretor comercial e de expansão da Stegia, Lucas Marchon, cita cinco dicas para auxiliar a ter uma contabilidade para e-commerce de qualidade.

“A primeira é regularizar o seu e-commerce, já que, a partir do registro do CNPJ da marca, ele já passa a ser incluído na contabilidade da empresa”, afirma.

Entre os benefícios de ter um CNPJ estão a realização de financiamentos e empréstimos com taxas e prazos especiais, compra de produtos no atacado e emissão de nota fiscal.

O segundo ponto é fazer o cadastro como Microempreendedor Individual (MEI). “Pequenas e médias empresas, que faturam até R$ 81 mil por ano, são elegíveis para realizar o cadastro. O MEI não precisa emitir nota fiscal ou escriturar livros fiscais, entre outras vantagens, e pode realizar seu cadastro do CNPJ no Portal do Empreendedor”, explica Marchon.

Calcule impostos

Calcular os impostos internacionais também está entre os pontos de atenção. O diretor explica que, como o e-commerce permite vendas para o mundo todo, é necessário que se informar sobre as condições e valores para entrega em outros países, caso deseje fazer negócios internacionais.

“Existem ainda outras regras para certos tipos de produto na hora de exportar, por isso vale a pena estar bem informado sobre o seu segmento e quais são suas especificidades”, complementa.

“É crucial também acompanhar a movimentação da loja, pois, para ter sucesso, organização é fundamental”, afirma o especialista da Marchon.

Mais um ponto importante é saber calcular o valor final dos produtos, o lucro líquido, acompanhar os fluxos de caixa e outras movimentações financeiras.

Existem diversas ferramentas digitais que podem ajudar com isso, como por exemplo a integração da plataforma Shopify à ferramenta de gestão TINY ERP, serviço homologado e oferecido pela Stegia.

Por fim, Lucas ainda menciona que empresários devem se programar para pagar impostos. “Não deixe para pagar taxas e impostos de última hora, faça uma programação de quais pagamentos você precisa realizar ao longo do ano e suas respectivas datas de vencimento”, aconselha.

Também é importante guardar os recibos e comprovantes dos pagamentos para eventuais consultas e para manter tudo organizado.

Foto: iStock

Leia também

PMEs: 9 dicas para melhorar finanças do negócio na crise

Tags

Send this to a friend