Escreva para pesquisar

Vídeoatendimento transforma a experiência do cliente

O vídeoatendimento não é algo novo, surgiu no mercado há mais de 10 anos para suprir a necessidade dos consumidores que deixavam de comprar no e-commerce tradicional por não haver contato próximo com os vendedores.

Esse modelo de vendas consiste basicamente em oferecer uma conversa por meio de videoconferência.

Essa forma de atender ganhou maior relevância e destaque com a pandemia, principalmente na área de saúde, graças à regulamentação da telemedicina e apenas na primeira semana de janeiro de 2022, mais de 50 mil pessoas receberam o atendimento remoto, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital.

Uma pesquisa da Mordor Intelligence, mostra que o mercado de telemedicina norte-americano foi avaliado em aproximadamente US$ 38.289 milhões em 2020, e espera-se que atinja uma receita de US$ 168.396 milhões em 2026.

Mas não é somente na área de saúde que o videoatendimento tem se desenvolvido, vários outros setores têm se aproveitado desse recurso para vender.

Contar com a ajuda de alguém na hora de resolver algo é uma questão muito valiosa, e um dos princípios básicos do vídeo atendimento, pois além de estreitar as relações, os problemas vão se resolvendo em tempo real com rapidez, dessa forma o cliente pode sanar todas as dúvidas, conforme elas vão surgindo e sair ainda mais satisfeito de um atendimento.

Casos de sucesso no videoatendimento

Uma agência de turismo especializada em Foz do Iguaçu usa dos benefícios do vídeoatendimento para aproximar o turista da cidade, fazendo com que ele conheça os atrativos e o seu roteiro de uma forma bem interativa.

“O perfil do cliente está mudando a cada momento e nós precisamos ajustar o atendimento para que ele se sinta confortável. Acreditamos que no vídeo atendimento acabamos com várias objeções de uma agência de turismo na hora de fazer a venda”, comenta André Vinicius, gestor do projeto e especialista em live commerce da Loumar Turismo.

Outra empresa que está usando o vídeo ao vivo para vendas é a Tintas Suvinil, que disponibiliza um vendedor para explicar e mostrar tintas e todo o processo de pintura para o cliente final que tem dúvidas sobre os produtos da marca.

Um outro exemplo é a empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) que também aposta no videoatendimento. disponíveis na Rede SAC na Bahia.

Neste caso, os cidadãos podem solicitar os serviços por meio de vídeoatendimento, sem precisar se deslocar a um posto SAC de forma presencial.

Videoatendimento ou Live Commerce?

Diferente do videoatendimento, o live commerce é uma estratégia para maximizar vendas de e-commerces que reúne em um evento virtual plataformas de streaming ao vivo (ou redes sociais) e até mesmo artistas e influencers.

Essa ação promove uma experiência intimista e interativa, em que clientes podem tirar dúvidas e comprar de forma instantânea, está consolidada no Brasil capaz de multiplicar as vendas, no entanto, como toda estratégia, precisa ser realizada de forma profissional e muito bem-feita.

Live Commerce em números

De acordo com dados da Research and Markets, o live commerce movimentou US$ 200 bilhões na China em 2020.

E ainda de acordo com estimativa da mesma empresa, a modalidade deve gerar receitas na casa dos US$ 600 bilhões em todo o mundo até 2027.

Bons motivos para pensar em adotar essa estratégia, não é mesmo? Além disso, um levantamento da Wyzowl nos mostra que:

● 96% dos usuários assistem um vídeo de explicação para entender melhor sobre um produto ou serviço;

● 84% dizem que se sentem convencidas a comprar um produto após assistir um vídeo da marca;

● 66% afirmam que preferem se informar sobre um produto por meio de vídeo.

Ou seja, ter conteúdos em vídeos e interativos é a receita que seu e-commerce precisa seguir para aumentar suas vendas.

Foto: iStock

Leia também

Live commerce é o futuro do e-commerce? 

 

Tags

Send this to a friend