Escreva para pesquisar

WWF: busca por produtos sustentáveis ​​cresce 71%

O mais amplo e atual retrato do ativismo digital em escala global acaba de ser divulgado pela Economist Intelligence Unit (EIU).

Realizado a pedido do WWF, ele englobou 54 países com 27 idiomas, onde vivem 80% da população mundial, cobrindo um período de cinco anos (2016-2020).

Os resultados mostram um aumento impressionante de 71% em pesquisas na internet por produtos sustentáveis, com crescimento contínuo, mesmo durante a pandemia da Covid-19.

Intitulado “Um Ecodespertar: Medindo a consciência global, engajamento e ação pela natureza”, o relatório revela um aumento substancial nos cliques dos consumidores atrás de produtos sustentáveis ​​em países de alta renda, como Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, Austrália e Canadá.

Porém a tendência vai além dessas economias: na verdade, também se acelerou nas economias em desenvolvimento e emergentes como, por exemplo, Indonésia (24%) e Equador (120%).

Ou seja: a busca por produtos sustentáveis é uma tendência global de consumo.

Isso, por sua vez, está criando novas oportunidades de mercado para as empresas, principalmente nos setores de cosméticos, farmacêutico, moda e alimentos.

Despertar ecológico

A diretora de sociedade engajada do WWF-Brasil, Gabriela Yamaguchi, explica que o despertar ecológico é um ponto de atenção para as empresas, que precisam responder adequadamente aos novos desejos dos consumidores.

“É um novo capítulo de consciência pós-greenwashing. Já não é aceitável produzir sem assumir a responsabilidade de, além de reduzir impactos negativos, regenerar o meio ambiente como valor adicional ao modelo de negócio – uma abordagem natureza-positiva. No Brasil, as pessoas percebem a perda da natureza de forma mais próxima, pois são diretamente afetadas pelo desmatamento, incêndios, enchentes e secas. Essa consciência e essa preocupação estão se refletindo nas buscas digitais, que afetam diretamente a adoção de novos hábitos de consumo”, analisa.

Sobre o Brasil, a pesquisa aponta que é o país que produziu o maior número de assinaturas em campanhas em prol da biodiversidade e natureza no mundo – 14% do total, ou 23 milhões de assinaturas online.

Os tuítes relacionados aumentaram 82% no período e o volume de notícias aumentou 60%. Notícias específicas sobre protestos contra a destruição da natureza atingiram o pico em 2019.

Esses números revelam que as pessoas estão mudando materialmente seu comportamento em apoio à causa ambiental. Essa mudança afeta retornos historicamente altos em algumas áreas, enquanto abre oportunidades de milhões de dólares em outras.

Foto: iStock

Leia também

Produtos sustentáveis da Amazônia ganham espaço no Brasil e no mundo

Tags

Send this to a friend